sexta-feira, 25 de junho de 2010

Pensamentos de Salomon Katz

Faça todo o bem que puder
Usando todos os meios que puder
De todas as formas que puder
Em todos os lugares que puder
A todas as pessoas que puder
Sempre que puder

John Wesley

A riqueza não provém da abundância de bens materiais,
Mas de uma mente feliz.

Beto

Atravessamos o mundo em busca da felicidade, mas ela está ao alcance de qualquer um: basta ter a mente satisfeita, e ela a transmitirá a todas as coisas.

Beto

A coragem é corretamente prezada como a primeira entre as
Qualidades humanas, por que... É a virtude que garante
Todas as outras

Winston c. Churchill

Tenha coragem diante das grandes dificuldades da vida e
Paciência com as pequenas; quando tiver cumprido com
Seu esforço todas as tarefas do dia, vá dormir tranqüilo:
Deus fica acordado.

Victor Hugo

Existe uma diferença entre justiça e consideração no relacionamento com as outras pessoas. É da esfera da Justiça não fazer o mal aos outros; e da consideração,
Não ferir seus sentimentos.

Cícero

Nada no mundo é tão maravilhoso como a transformação pela qual a alma passa quando a luz da fé desce sobre a luz da razão.

W. Bernard ullathorne, dons humanos

Só quem tem fé em si próprio
É capaz de ser fiel aos outros.

Erich Fromm, a arte de amar

A felicidade não está em conseguir nem em ter,
Mas tão-somente em dar.

Henry Drummond

Seja rápido ao ouvir,
Vagaroso ao falar e
Lento para se irritar.

Beto

Uma resposta gentil afasta a raiva,
Enquanto uma palavra rude provoca a cólera.

Talmud

Ainda que a figueira não floresça,
Nem a videira frutifique,
As oliveiras não dêem azeitonas,
E os campos não produzam alimento,
O rebanho não procrie,
Nem haja ovelha na pastagem,
Ainda assim me rejubilarei no senhor,
Exultarei no deus da minha salvação.

Talmud

Candidíase Vaginal

O QUE É

É uma infecção genital causada pelo fungo cândida albicans. Esse microorganismo geralmente se aloja na pele, boca (sapinho), estômago, intestino e vagina. Os sintomas aparecem quando ocorrem alterações de imunidade. Cerca de 90% das mulheres podem ser infectadas pela candidíase vaginal, pelo menos uma vez na vida.

O que contribui para a infecção

*gravidez. O meio fica mais favorável ao desenvolvimento da cândida devido ao aumento dos níveis de estrogênio. (hormônio feminino)
* anticoncepcionais. O estrogênio também fica abundante no fluxo vaginal.
* menopausa. A diminuição dos hormônios faz com que a mucosa vaginal fique menos resistente.
* corticosteróides. Provocam alteração no sistema imunológico.
* antibióticos. Geram um desequilíbrio na flora bacteriana da vagina.
* distúrbios endócrinos. Como o diabetes, que provoca alta concentração de açúcar no meio vaginal e na urina, favorecendo o desenvolvimento do fungo.
* higiene pessoal. Um mau hábito de higiene pode disseminar os microorganismos do intestino para a vagina.
* roupas íntimas de material sintético/calças apertadas. Produzem uma situação de calor e umidade sobre a pele, acumulando o suor e favorecendo assim o crescimento da cândida.
* agentes sensibilizantes da pele. A pele pode sofrer lesões ou inflamações pela ação de sabonetes, desodorantes e nebulizações vaginais.
*relações sexuais. A mulher pode adquirir candidíase vaginal e contaminar o seu parceiro sexual, que passa a ser uma fonte de contágio.

Fontes de reinfecção

Parceiros masculinos. Mesmo não apresentando os sintomas, a mulher pode passar a candidíase ao seu parceiro. Poucos homens apresentam sintomas, mas são fontes de reinfecção.
Pele dos genitais. A candidíase pode reaparecer a partir de lesões, como um trauma provocado na relação sexual. Artigos de uso pessoal. Os fungos ficam em escovas de dente, bidês, banheiras e roupas íntimas.
Use um agente, germicida na lavagem ou passe a roupa íntima com ferro a vapor.
Trato gastrointestinal. O intestino é um reservatório de fungos. Uma higiene íntima inadequada pode provocar a disseminação do microorganismo do intestino para a vagina.

Cuidados

• Faça uma perfeita higienização durante o banho.
• Prefira sabonetes, absorventes e papel higiênico neutros.
• Evite banhos de banheira.
• Não use toalhas e roupas íntimas de outras pessoas.
• Seque bem todo o corpo.
• Evite meias e roupas íntimas de nylon e calças apertadas
• Prefira calcinhas de algodão.
• Lave as roupas íntimas com água fervente e sabão.
• Use um agente germicida na lavagem das roupas.
• Passe as roupas íntimas com ferro a vapor.
• A higiene pessoal deve ser feita da vulva para o ânus, nunca ao contrário.

Sintomas

* coceira e sensação de ardência na vulva.
* corrimento vaginal espesso e aderente.
* inflamação vulvar com vermelhidão.
* pode causar dor na relação sexual.
* algumas mulheres têm apenas uma leve irritação e coceira.

Tratamento

O tratamento da candidíase vaginal era feito com cremes e óvulos e, devido aos inconvenientes da administração e duração do tratamento, muitas pacientes abandonavam o tratamento. Hoje existem tratamentos mais simples e cômodos, sendo administrados por via oral com apenas um dia de duração. Siga corretamente a prescrição do seu médico e tome os cuidados para evitar uma reinfecção.

Os sintomas geralmente aparecem na semana anterior ao ciclo menstrual.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Dicas

Mortadela de frango

51% menos caloria
70% de redução de teor de gordura

Tem várias vantagens, seu uso começou em Chapecó - Santa Catarina


Saiba:

Uma barrinha de chocolate amargo por semana é o que você precisa para evitar AVC (acidente cerebral vascular).
O cacau de tal chocolate é rico em substâncias antioxidantes que favorecem a dilatação dos vasos.

Sugestões Oportunas

Convivendo com a TPM

• Faça exercícios físicos regulares: caminhada, corrida, bicicleta. Esse tipo de atividade ajuda a combater a tensão e a ansiedade.

• Reduza a ingestão de gorduras, dando preferência a frutas (framboesa, figo, laranja, morango, melão e uva), hortaliças (abóbora, agrião, cenoura, e pimentão) e cereais integrais. Eles contêm muitas fibras, que facilitam o trânsito intestinal e amenizam o problema de prisão de ventre.

• Reduza o consumo de sal (favorece o acúmulo de água no corpo), conservas e embutidos (em geral são muito salgados).

• Resista ao álcool, que pode desequilibrar seus níveis hormonais e piorar os sintomas.

• Se você fuma, reduza o cigarro. O fumo causa ou intensifica dores de cabeça porque a nicotina provoca a vaso constrição (estreitamente dos vasos).

• Esqueça café, refrigerantes e chocolate. Todos contêm cafeína, um estimulante capaz de acentuar a irritabilidade. Prefira chá de camomila, erva doce, erva cidreira, etc.

• Reserve um tempo para relaxar, passear ou dedicar-se a algum hobby. E curta o prazer que essas atividades proporcionam.

• Se nada disso resolver, procure auxílio médico. Não aceite o sofrimento passivamente

• Não aceite o rótulo de temperamental. Admita que sofre de TPM e peça ao namorado, ao marido e a sua família para ajudá-la nessa fase.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

O que é climatério?

Climatério é uma fase de transição na vida da mulher, que marca a passagem de seu período reprodutivo para o não reprodutivo. Caracteriza-se por um conjunto de alterações orgânicas e psíquicas.

O que é menopausa?

É um evento natural da evolução do organismo feminino, que significa a cessação definitiva da menstruação. Em geral, a menopausa ocorre entre os 45 e 55 anos de idade.

Por que ocorre a menopausa?

Durante a fase climatério há uma alteração progressiva na função dos ovários, com a diminuição da produção de seus hormônios (estrógeno e progesterona), culminando com a parada definitiva de sua secreção e a interrupção da menstruação.

Quais os principais sintomas do climatério?

Os mais comuns são:

• Irregularidade menstrual
• Ondas de calor (fogachos)
• Sudorese noturna
• Insônia
• Alteração de humor
• Diminuição da libido
• Fadiga
• Ressecamento vaginal

A freqüência com que estes sintomas ocorrem durante o climatério é extremamente variável, podendo ser influenciada por diversos fatores, como idade e raça.
Em termos estimativos, acredita-se que cerca de 50% das mulheres os apresentam nos países ocidentais.

Qual a freqüência dos fogachos?

Ocorrem em cerca de 75% das mulheres no climatério, sendo, em geral, bem tolerados na metade dos casos. Porém, para 25% das mulheres, podem ser muito intensos e pouco tolerados, a ponto de prejudicar sua qualidade de vida.

Como são caracterizados os fogachos?

São eventos súbitos, repetitivos, com sensação de calor principalmente no tronco e na face, acompanhados de sudorese. Também podem ser seguidos ou acompanhados de palpitações, cefaléia, náusea, ansiedade e irritabilidade. São de curta duração (3 a 5 minutos).

Por quanto tempo ocorrerão os fogachos?

Geralmente podem perdurar por um ou dois anos, com desaparecimento progressivo. Em 25% das mulheres, a duração pode ser superior a 5 anos e, excepcionalmente, também podem ocorrer tardiamente.

Considerações gerais

Exercícios físicos

A atividade física deve ser incentivada no climatério. Exercícios regulares reduzem os riscos de doenças cardiovasculares e osteoporose, além de causarem mudanças benéficas tanto do ponto de vista estético, quanto no humor.

Cuidados dietéticos

Alguns cuidados nesta fase são muito importantes para manter uma boa qualidade de vida;

• As refeições devem ser balanceadas;
• Devem-se restringir os alimentos ricos em colesterol, como carnes gordurosas, manteiga, frituras, ovos, biscoitos e queijos integrais;
• Aumentar a ingestão de fibras e líquidos;
• Manter uma alimentação rica em cálcio
• Evitar o fumo;
• Evitar o consumo excessivo de café e bebidas com alto teor de cafeína e de bebidas alcoólicas.

Importante
O acompanhamento médico é essencial nesse período. Somente seu médico poderá avaliar com exatidão a necessidade de um eventual tratamento e indicar as melhores medidas para cada caso.

Estresse!

Estresse dentro de casa é mais comum que no trabalho, segundo pesquisa:

As pessoas ficam mais estressadas dentro da própria casa do que no trabalho. É o que aponta um estudo sobre avaliação de risco cardiovascular feito com base nos resultados do mutirão do coração promovido em 2009 pela Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo em parceria com a Sociedade de Cardiologia do Estado. Cerca de 100 mil pessoas foram avaliadas nas cidades de São Paulo e de Campinas.

Foi o primeiro estudo empírico em que o estresse foi considerado e avaliado como fator de risco. O estresse foi avaliado nos vários locais onde as pessoas convivem, como trabalho, casa, locais sociais (clubes, bares, boates), além de ter considerado fatores como problemas financeiros e crença religiosa. E a casa foi apontado como o local de maior estresse pela população, superando até o mesmo o trabalho.

Todas as pessoas que participaram do mutirão afirmaram ter passado por algum nível de estresse no último ano, com intensidades variando entre pouco, moderado, intenso e exagerado. O resultado pode indicar um novo quesito para doenças cardiovasculares na modernidade, o estresse.

Ainda segundo o estudo, 23,2% da população afirmou ter sofrido estresse em casa. Marido, filhos, cachorro ou a nova rotina feminina podem ser fatores determinantes para que as mulheres estejam desenvolvendo doenças cardiovasculares. E 46,8% afirmaram que tiveram algum fator estressante no último ano: morte de familiar, perda de emprego, separação conjugal ou ruína financeira.

Estresse intenso ou exagerado ocorreu em 23,2% dentro da própria casa; 15% dentro do trabalho; 10% dentro da sociedade e 25% de causa financeira. E as mulheres sofrem mais com o estresse dentro de casa: 28,3% delas revelaram estresse intenso ou exagerado. Entre os homens esse índice combinado cai para 13%.

Para o cardiologista Ari Timerman, diretor do serviço hospitalar do Instituto Dante Pazzanese e um dos coordenadores do mutirão, o resultado reflete o peso do papel da mulher na sociedade, que chefia famílias e cuida dos filhos.

No trabalho, os níveis de estresse foram menores do que em casa. Mais da metade afirmou que ele é ausente (50,9%); 14,7% pouco; 19,1% moderado; 10,4% intenso; e 4,6% exagerado. Na sociedade, as pessoas afirmaram que o estresse é ausente em 43,6% dos casos; 23,9% pouco; 22% moderado; 7,3% intenso; e 3,1% exagerado.

Segundo o cardiologista, o fato de ter sido um ano de crise econômica pode ter contribuído para o estresse dentro de casa. O estresse financeiro intenso ou exagerado foi apontado por 24,4% das pessoas.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

INFECÇÕES GENITAIS

Como prevenir e tratar as infecções genitais e infecções transmitidas sexualmente

Dr. Vicente Renato Bagnoli
Dra. Ângela Maggio da Fonseca

Consulta rotineira ou por necessidade clínica

Fato relevante e preocupante é que ainda nos dias atuais, a maior parte dos indivíduos (homens e mulheres), quando suspeitam de estar com alguma infecção genital, procuram as farmácias e submetem-se a auto-medicação, que na maioria das vezes é feita de forma inadequada pelo balconista, não tratando o problema e com grandes chances de agravá-lo, muitas vezes escondendo problemas mais graves como sífilis, hepatite, gonorréia, e mesmo AIDS.

O fato é que todos devem ser espertos e não procurar enganar seu parceiro ou a si mesmo. Em caso de dúvida, procure logo um serviço de saúde e conte a verdade, pois somente assim estará protegido e protegendo as pessoas de seu relacionamento. O exame de rotina com o ginecologista (para a mulher) e urologista (para homem), é fundamental para todas as pessoas que tenham atividade sexual, como forma preventiva. Assim, o exame clínico periódico, e conforme a solicitação do profissional exame complementar são medidas valiosas. Nestas consultas, devem ser comentados todos os aspectos mesmo que sejam considerados sem importância, como exemplo falar claramente sobre a vida sexual, hábitos de higiene, doenças já apresentadas no passado, uso de drogas, método de contracepção e outros mais. O importante é não omitir nenhum dado perguntado pelo profissional.

Quando a consulta for motivada por suspeita de alguma infecção, ou relação sexual de risco, os detalhes serão ainda mais importantes, e recomenda-se que ambos os parceiros sejam avaliados.

Tratamento correto e completo

O profissional ao atender alguma pessoa com infecção genital, assim que conclua o diagnóstico, em geral prescreve drogas de acordo com o microorganismo causador da infecção, para ser tomada por via oral (pela boca), em grande parte dos casos, para ambos os parceiros, e também para uso local na vagina e eventualmente no pênis. Deve ser ressaltado que é fundamental que seja tomada toda a quantidade de medicamento orientada pelo médico, e fazer com que o parceiro, que nem sempre aceita facilmente, também o faça. Em geral alguns cuidados gerais são importantes e devem ser seguidos, conforme comentamos adiante. Quando existir dúvidas, não pense duas vezes, pergunte tudo para o profissional, pois assim tudo correrá de forma mais simples, facilitando o tratamento e melhorando as chances de cura.

Atenção ao comprar ou receber a medicação mesmo em serviços gratuitos, pois muitas vezes o funcionário pode trocar ou fornecer medicação inadequada, comprometendo a cura. E mais uma vez, chamamos a atenção para nunca fazer auto-diagnóstico ou automedicação, procure sempre o profissional para obter diagnóstico e tratamento corretos.

Sexual no relacionamento

Uma das medidas preventivas de grande importância é a divulgação das pessoas consideradas como população de alto risco, que tem sido bem clara, veiculada em jornais, rádios, televisão e folhetos, justamente para que todos saibam quando estão próximos a esta população, e portanto com maior risco de infecções genitais, gerais e principalmente as transmitidas sexualmente.

As características importantes destas pessoas são: início precoce da atividade sexual, troca freqüente de parceiros sexuais, muitas vezes vários ao mesmo tempo, a não utilização de camisinha, que aumenta muito os riscos, mesmo que o relacionamento seja estável, vida sexual intensa com práticas muitas vezes sem os devidos cuidados, indivíduos que já tiveram ou apresentam doenças como herpes zoster, hepatite, sífilis, doenças sexualmente transmissíveis(herpes genital, gonorréia, infecção por clamídia,vaginites de repetição e muitas outras), alcoólatras, usuários de drogas, escolaridade, condições de higiene , saúde e alimentação. Considerando-se a presença de um ou mais destes fatores, não é difícil reconhecer se seu presente ou futuro parceiro ou parceira, deve ser considerado ou não de risco, para que quanto maior o for, maiores serão os cuidados a serem tomados, para sua própria segurança. Assim, antes de começar algo, procure informar-se para não se arrepender mais tarde.

Cuidados gerais de grande importância e utilidade

Estas recomendações são muito importantes para todas as pessoas, portadoras ou não de infecções genitais, sendo úteis para as diversas infecções genitais, transmitidas ou não sexualmente.

As mais recomendáveis são:

Sexo seguro- é de conhecimento geral que a atividade sexual tem sido considerada cada vez mais importante na vida das pessoas, independentemente da classe social, econômica e cultural. Este comportamento tem causado grandes mudanças no comportamento sexual, com hábitos cada vez mais liberais, nem sempre sobre orientação segura, que assim colocam em risco a saúde das pessoas. Por estas razões, muito se tem falado de sexo seguro, que sem dúvida deve começar em tentar ter vida sexual, com indivíduos não considerados de risco, mas nem sempre as coisas são assim tão simples, pois muitas vezes, a atração ou oportunidade estimulam o relacionamento com indivíduos de risco, como descritos acima, necessitando de maiores cuidados.

O uso de camisinha, tanto masculina como feminina, é procedimento obrigatório, pois quando bem usada é segura, devendo ser colocada, já no começo do ato sexual. Algumas práticas sexuais podem causar problemas, como relação anal e em seguida relação vaginal sem higiene dos órgãos genitais, que podem causar diversas infecções, assim como a troca constante de parceiros. Outra medida útil é o uso de espermicidas como o monoxinol, que junto a camisinha, aumentam a segurança.

Todos os casais devem evitar ter relações quando estiverem com alguma infecção genital em tratamento ou não, ou quando um dos parceiros apresentarem alguma suspeita ou tiver mantido algum relacionamento suspeito, pois além de reduzir o risco de infecção, facilita o processo de cura. Para maior segurança, os parceiros principalmente se tiverem mais de um relacionamento, mesmo com todos os cuidados, devem submeter-se periodicamente a exames para excluir infecções como sífilis, AIDS e outras.

Método contraceptivo- antes de iniciar a atividade sexual, procure orientação sobre riscos, cuidados e na escolha de um método para evitar filhos não programados. A camisinha é opção com boa segurança na prevenção de infecções e pode também controlar gravidez não desejada, mas para maior segurança procure utilizar outro método associado como pílula anticoncepcional, injeções anticoncepcionais, dispositivo intra-uterino (DIU). Deve-se alertar as mulheres que usam DIU que estão mais sujeitas a terem infecções, e devem estar sempre atentas para qualquer alteração. Outro ponto importante é que as usuárias de qualquer método contraceptivo, se apresentar má aceitação ao mesmo, ou infecções de repetição, devem procurar postos de atendimento para trocarem de anticoncepcional.

Cuidados na higiene genital- a higiene dos órgãos genitais é tão necessária e simples, como lavar as mãos ou qualquer outra parte do corpo. Assim, não é necessário nem aconselhável higiene excessiva dos genitais, pois lavagem muito freqüente, assim como a utilização de sabonetes ou desodorantes locais, podem causar irritação, alergias, alterar as defesas naturais, e facilitar o aparecimento de infecções. O melhor é lavar os órgãos genitais durante o banho ou eventualmente após evacuar, usando água e sabonetes neutros, evitando duchas intra-vaginais, mesmo após as relações, e procurando utilizar toalhas limpas não irritantes. Deve-se ter cuidado ao utilizar sanitários, peças de banheiro e toalhas, pois eventualmente estão contaminadas e oferecem risco.

Atenção com as roupas- a modernidade nem sempre é muito boa, tanto os homens como as mulheres, cada vez mais usam roupas de fios sintéticos, principalmente peças íntimas, que não permitem a ventilação normal dos genitais, causam processos alérgicos que podem facilitar o aparecimento de infecções. Calças apertadas principalmente de tecidos grossos muito em moda entre as mulheres, também são prejudiciais. Assim, devem-se utilizar roupas preferencialmente de algodão ou outros tecidos naturais, cômodas, e sempre muito bem lavadas, retirando todo o sabão, evitando produtos com odor, e passando cuidadosamente com ferro quente. Os cuidados com as vestes, principalmente roupas íntimas é fundamental, devendo-se evitar o uso de roupas de outras pessoas, principalmente as já usadas.

Condições clínicas que facilitam ou mantém processos infecciosos

Toda pessoa que passe a apresentar infecções genitais ou gerais freqüentes, ou de difícil tratamento, devem ficar atentas e procurar algum serviço de saúde bem conceituado, pois podem estar com alguma doença, por vezes séria, não diagnosticada, e que esteja mantendo o quadro. Assim, deve-se salientar que doenças como diabetes, tuberculose, câncer em diversas localizações no corpo, perda da resistência (imunidade), AIDS, má alimentação, problemas no fígado, rins e outros órgãos, são causas freqüentes de debilitação, tornando quase que incuráveis vários processos infecciosos. Procurando atendimento médico, seguramente será bem avaliada, feito diagnóstico e tratamento correto, que melhorarão as condições gerais, na maioria das vezes curando ou controlando estas doenças, e conseqüentemente tratando os processos infecciosos.

Comentários finais

Os relatos dos folhetos sobre infecções mostraram como se suspeitar, diagnosticar e tratar as infecções genitais, gerais, transmitidas sexualmente ou não. O recado mais importante é a necessidade de todas as pessoas informar-se sobre estas doenças, para saber o que fazer frente a qualquer suspeita. Lembrando que a avaliação do médico é indispensável, o qual orientará o tratamento. Nunca tentar adivinhar o diagnóstico nem fazer automedicação, para a sua proteção e das pessoas com que conviva.

Novo Tratamento do Refluxo Venoso Superficial

O QUE SÃO VARIZES?
As varizes são veias dos membros inferiores que se dilatam e causam uma alteração no fluxo do sangue que deve fluir desde os pés até chegar ao coração.
Ao invés do sangue ter um fluxo contínuo, devido à dilatação e insuficiência das válvulas que estão dentro das veias, este possui dificuldade em “subir” até o coração.
Esta dificuldade motiva cada vez mais a dilatação das veias. Há um aumento ainda maior na insuficiência das válvulas levando-as à um aumento nas causas das varizes, ocorrendo um ciclo vicioso.
Estas veias dilatadas (varizes) estão situadas logo abaixo da pele e algumas vezes podem tornar-se muito volumosas e dilatadas ocasionando sérias complicações.

1- O que é refluxo venoso superficial:

As veias das pernas sadias possuem válvulas que abrem e fecham para o retorno do fluxo de sangue ao coração.
Refluxo venoso superficial se desenvolve quando as válvulas que mantém o sangue fluindo foram das pernas e que retornam ao coração, se deterioram (“estragam”). Como resultado, as válvulas das veias não fecham completamente e o sangue reflui (“retorna”).

2- O paciente sente o que? Ocorrem complicações?

• Edema (inchaço) no tornozelo
• Sensação de perna cansada e pesada

Todas as queixas se acentuam no final do dia, sobretudo quando se permanece longas horas em pé ou sentado; no calor; nas mulheres em época menstrual, ou durante as gestações

As complicações são:

• Manchas ocres ( mancha de cor escura);
• Eczemas;
• Erisipela – infecção aguda da pele;
• Varicorragia – sangramento abundante decorrente de rotura de veia varicosa;
• Lipodermatoesclerose – pele de tecido subcutâneo espessado e endurecidos;
• Úlcera de estase (ferida geralmente localizada na face interna das pernas, devido ao mau funcionamento das veias).

3- Qual é o tratamento tradicional para refluxo venoso superficial?

Uma vez que as válvulas não podem ser reparadas, a alternativa é voltar à rota do fluxo sanguíneo através de veias saudáveis.
Tradicionalmente, este tem sido através da remoção cirúrgica (stripping) da veia comprometida.

4- Qual é o novo tratamento para o refluxo venoso superficial?

O tratamento por radiofreqüência prevê uma alternativa menos invasiva para retirada da veia, a nova técnica simplesmente fecha a veia comprometida (a veia fica inutilizada). Uma vez que a veia doente é fechada, outras veias saudáveis assumem a sua função e o fluxo sanguíneo normaliza-se.

5- Como é o procedimento de radio freqüência para o tratamento do refluxo da veia safena?

O procedimento é minimamente invasivo. Um cateter fino é colocado na veia safena comprometida através de uma pequena abertura na pele. O cateter é acionado pela energia de radiofreqüência (rf) que eleva a temperatura das paredes da veia e ocorre o fechamento da mesa (fica totalmente inutilizada para o refluxo venoso). A veia permanece no local, mas sem função. Isto pode eliminar os hematomas (manchas roxas) e dor freqüentemente associados a retirada da veia no tratamento tradicional.

6- Quanto tempo demora o procedimento de radiofreqüência?

O procedimento é rápido, em média 45 minutos.

O Que é Insônia?

A insônia é um transtorno que afeta o sono, prejudicando a qualidade de vida. Atinge as pessoas de todas as condições sócio-econômicas, mas afeta principalmente mulheres, idosos, pessoas que morram sozinhas e indivíduos com histórico de depressão.

A insônia pode ser definida como:

*percepção ou queixa de sono de pouca duração;
*impressão de um sono de má qualidade ou não restaurador.

A insônia pode ser classificada conforme a causa, o período do sono mais comprometido, ou de acordo com a sua freqüência e duração.
A insônia pode ser originada por fatores isolados ou associados, podendo incluir até certas doenças psiquiátricas.

Causas mais comuns:

• Alterações no ritmo biológico
Viagens com alteração no fuso horário, alterações de turnos de trabalho e sono de longa duração durante o dia.

• Doenças
Diabetes, doenças reumáticas, doenças vasculares e outras.

• Distúrbios psiquiátricos
Ansiedade e depressão, por exemplo.

• Certos medicamentos
Estimulantes e antidepressivos, por exemplo.

• Excesso de álcool
Bebidas alcoólicas podem alterar os ciclos do sono.

• Ambiente desfavorável
Excesso de ruídos, cama desconfortável, temperaturas extremas, etc.

• Abuso de substâncias estimulantes
Tais como cafeína e nicotina.

• Envelhecimento
Ocorre diminuição na qualidade de sono entre os mais idosos.

Existem algumas medidas que podem ser adotadas para favorecer um sono reparador, como por exemplo:

• Exercícios físicos regulares são acompanhados de sensação relaxante e diminuem o estresse.
• Evitar dormir com estômago cheio ou vazio.
• Não se deve beber café, chá preto ou refrigerante de cola durante a noite.
• Evitar ingerir bebidas alcoólicas antes de deitar-se.
• Criar um ambiente favorável ao sono:
• Escurecer o quarto.
• Procurar eliminar qualquer tipo de ruído ou qualquer outro desconforto que diminua a qualidade do sono.
• Livrar-se de relógios com mecanismo ruidoso e de rangidos na cama.
• Usar a cama somente para dormir. Não ler, assistir televisão ou falar ao telefone quando deitado na cama.
• Evitar calor ou frio excessivo.

Respeite seu relógio biológico!!!

Evite cochilar durante o dia. Dormir por muito tempo durante o dia altera o ritmo biológico de seu organismo. Limite-se a sonecas de 10 a 15 minutos no máximo.
Mantenha uma rotina constante de sono. Procure levantar-se sempre à mesma hora, mesmo nos fins-de-semana, assim o sono se regulariza.

Durma apenas o necessário para sentir-se recuperado. O hábito de ficar na cama pela manhã, tentando dormir mais pouco, pode criar dificuldade para adormecer.
Não se exponha à luz forte se acordar no meio da noite. Luzes fortes durante a madrugada podem afetar o ritmo biológico e “acordar” o sistema nervoso. Se acordar para ir ao banheiro, use o mínimo de luz.

Rituais para dormir:

Tenha seus rituais para a hora de dormir. Tente meditação, relaxamento ou outra técnica de controle da tensão.
Música relaxante. Uma boa leitura, não relacionada com trabalho ou problemas, é um bom hábito.
Se ainda assim, quando você se deitar, não consegue adormecer, evite “brigar” com o seu corpo. Permanecer na cama, “ruminando” sobre a falta de sono, só agrava a situação. Não force o sono, levante-se e procure uma atividade relaxante fora da cama, só retorne quando sentir o sono novamente.

ATENÇÃO!!!

“PARA OS ELEITORES QUE IRÃO VOTAR , PRESTAR ATENÇÃO NA FICHA LIMPA DOS CANDIDATOS.”

A FOLHA 12/06/2010.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

A VITÓRIA DA ÁFRICA

Qualquer que seja o resultado, organizar a copa do mundo pela
primeira vez é um triunfo para o mais pobre dos continentes!!!

Cólica Menstrual - Saiba mais sobre esse PROBLEMA!

DISMENORRÉIA OU CÓLICA MENSTRUAL


A cólica menstrual, chamada pelos médicos de dismenorréia, é uma queixa ginecológica muito comum, que acomete mais de metade das mulheres que menstruam. É caracterizada por dor abdominal e no baixo-ventre que acompanha a menstruação. A intensidade da dor varia muito de mulher para mulher, porém, entre as mulheres que têm cólica, uma a cada dez irá apresentar um quadro de dor tão forte que chega a ser incapacitante, ou seja, a impede de executar suas atividades diárias, além disso, bilhões de horas de trabalho são perdidas anualmente por conta da dismenorréia.

A cólica menstrual pode ocorrer durante uma menstruação normal, ou relacionada a alguma doença – por exemplo, o mioma uterino e outros tumores – ou ainda pelo uso de DIU.

Apesar de muitas mulheres acreditarem que a cólica menstrual é algo normal e que deve ser suportada “heroicamente”, isso não é verdade. Se você tem cólica menstrual, deverá procurar orientação médica. Seu ginecologista irá examiná-la e poderá pedir alguns exames para saber se sua cólica é causada por alguma doença.

Mesmo que a sua cólica menstrual não seja causada por doença, ela tem tratamento. Esse tratamento pode abranger medicação antiinflamatória, suplementação de vitaminas e uma dieta adequada.

Para prevenir a dismenorréia deve-se evitar todo excesso alimentar, como gordura animal, frituras, sal, açúcar e álcool. Praticar atividade física também é recomendável, pois os exercícios facilitam a vascularização da região abdominal, o que diminui a dor. No momento da cólica, compressas de água quente, massagens com óleos relaxantes no baixo - ventre e pequenos exercícios que estimulem o abdome diminuem a dor. O ginecologista é a pessoa mais indicada para determinar as causas, tratar a cólica menstrual e recomendar o melhor tratamento.

Dicas de Relaxamento

PARA UMA BOA NOITE DE SONO

Procure um local tranqüilo, silencioso e de iluminação suave. É preferível que não seja a sua própria cama.
Encontre uma postura relaxante. Ex.: sente-se no chão sobre uma almofada, cruze as pernas, mantenha a coluna ereta (podendo apoiar as costas) e olhe para frente.

Respire mais profunda e lentamente algumas vezes, sentindo o movimento do ar em seus pulmões. Repita mais umas cinco vezes, sendo que, nestas últimas, segure o ar inspirado o máximo que puder, soltando-o livremente.

Agora você pode escolher uma sílaba que preferir, por exemplo: “om”. Comece repeti-la lentamente (em voz alta ou mentalmente), prolongando os sons.
Continue repetindo os sons, sinta seu corpo relaxando aos poucos, da ponta dos pés até o couro cabeludo.

Deixe sua mente divagar e entrar no ritmo das repetições. Se preferir, imagine um cenário agradável com muita natureza e paz.
Continue até sentir que seu corpo está totalmente relaxado e seus pensamentos abstratos e longe de seu cotidiano. Agora é hora de dormir.

Caso seus olhos estejam fechados, abra-os vagarosamente, levante-se de modo suave, vá para a sua cama lentamente e deite-se.
O sono virá rápido e seus sonhos serão agradáveis.
A técnica de repetição de sons e controle da respiração se assemelha ao milenar mantra, usado para a meditação e alteração da freqüência das ondas cerebrais.
Experimente!

Mentalização de soluções

Esta técnica ajudará você a se desligar de alguma preocupação, pessoal ou profissional, que esteja dificultando seu sono.pense naquilo que você deseja e precisa para solucionar o problema em questão.
Deixe de lado a culpa e Auto- Piedade. Agora, defina seu objetivo em detalhes de como resolver a situação e mantenha-o em mente. Planeje hora e local para discutir a solução, que seja conveniente para você e para a(s) outra(s) pessoa(s). Isto é essencial para focalizar a discussão. É a sua

Oportunidade para expor os fatos como você os sente e para compartilhar sua opinião e suas crenças com terceiros .mentalmente, descreva os seus sentimentos para que compreendam melhor a importância que o assunto tem para você.

Terminados estes passos, tenha a certeza de que os problemas serão resolvidos na sua hora certa. Agora é o momento de um sono tranqüilo e energizante para o próximo dia.
Dica: não esqueça também de estabelecer, no seu dia-a-dia, limite para as suas preocupações. Eleja um tempo só para você. Dedique-se a estar consigo. Talvez, para conquistar esse tempo, seja necessário exercitar sua capacidade de dizer “não” a alguns compromissos.

Relaxamento muscular

Este é um exercício simples, que irá ajudá-lo a relaxar o seu corpo antes de deitar-se: fique em pé ereto com os braços estendidos à frente, inspirando e mantendo a respiração natural e completa. Gire os braços para trás diversas vezes,

Formando um círculo, e então inverta a direção. Enquanto faz o movimento, expire vigorosamente pela boca, praticando algumas respirações completas e regulares. Agora, coloque as mãos sobre os quadris, continue respirando normalmente..

Mantenha a parte inferior do corpo rígida e, inclinando-se para frente ao máximo, expire lenta e completamente pela
Boca enquanto faz o movimento de ida e volta. Agora se incline para trás, enquanto faz outra respiração completa. Após quatro séries de inclinações, seu corpo estará mais alongado e relaxado.

Agora é só deitar-se e... Boa noite!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

DST/AIDS

DISQUE 0800 16-25-50

SUBSTITUTA

A substituta da Dilma Rousseff na casa civil é Erenice Guerra.
(ela é aquela que fez um dossiê contra a falecida Ruth Cardoso).

Ela tem um novo complemento de salário, foi nomeada pelo presidente Lula para o conselho de administração do BNDS.

Recebe remuneração de 3 em 3 meses do jetom R$15.370,00 recebe também o salário de ministra que é de R$11.240,00.

Visto na internet (uol) às 21:06 do dia 31/05/2010.

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LOMBALGIA!

Simples medidas melhoram, curam e previnem a lombalgia

O QUE É

Lombalgia caracteriza-se por dores, agudas ou crônicas, da coluna lombar. Atinge cerca de 80% da população adulta em algum momento de sua vida.
Entre os distúrbios dolorosos mais freqüentes nos seres humanos, a lombalgia perde apenas para a cefaléia. É a principal causa de licença médica do trabalhador (absenteísmo ao trabalho) na faixa etária produtiva e cerca de 5% das crianças terão pelo menos um episódio.
A lombalgia não é uma doença e sim um sintoma. Já foram enumeradas cinqüenta de suas causas. Na maioria dos casos, os especialistas têm dificuldade em identificar qual a estrutura da coluna responsável pelos sintomas. Em cerca de 1,5 % desses casos, a dor se irradia para as pernas, devido à compressão de uma ou mais raízes nervosas no nível da espinha- situação denominada “ciática”.

A boa notícia é que mais da metade dos casos de dor lombar aguda se cura ou melhora com simples medidas e, às vezes, pela própria natureza, após duração média de 2 a 6 semanas. Cerca de 80% recuperam-se às suas atividades rotineiras.
A dor lombar pode tornar-se crônica em indivíduos que reagem ao estresse de qualquer natureza, com manifestações de dor lombar ou com o agravamento de processos existentes, com duração igual ou maior do que seis meses. Nesses casos, fatores psicossociais (como depressão ansiedade, abuso de drogas, falta de condicionamento físico e problemas familiares) são importantes.

CAUSAS
Existem diversas causas de dor na coluna lombar, as quais aparecem isoladas ou combinadas, sendo as principais:

1- Mecânicas e posturais: originadas por erros de postura, obesidade, gravidez, esforços repetitivos e seqüelas neurológicas – como derrame ou paralisia infantil.

2- Hérnia de disco: o disco intervertebral é uma estrutura localizada entre duas vértebras e funciona como amortecedor de impactos e distribuidor de esforços da coluna. Quando o disco se rompe, forma-se a conhecida hérnia de disco. Em geral, essas rupturas ocorrem em um ou mais níveis, isolados ou combinados, em decorrência de sobrecargas.

O trauma pode não apresentar sintomas ou desencadear dor na própria região com ou sem irradiação para coxas e pernas, sendo que a dor pode agravar-se quando o indivíduo tossir, espirrar, ou evacuar.

É necessário rigor diagnóstico para atribuir a causa da dor à hérnia de disco. Nesses casos, é fundamental existir correlação evidente entre o resultado dos exames de imagem (tomografia computadorizada ou ressonância magnética), da história relatada pelo individuo e do exame clínico feito pelo médico. Há que se salientar que em até 35% dos casos a hérnia de disco pode ser um achado casual em um exame de imagem, motivado por outras queixas, ou seja, a hérnia não é responsável pela dor. Com ou sem tratamento, o organismo tende a reabsorver parcial ou totalmente até 40% das hérnias. Em até 90% dos casos com tratamento clínico correto, ocorre cura e o tratamento cirúrgico ocorre em não mais que 5% deles.

3- Degenerativas (artrose) à medida que envelhecemos, ocorrem fenômenos redutores da força e da flexibilidade da coluna. Na maioria dos casos, não há sintomas. Quando eles surgem, é sinal de que houve comprometimento de : estruturas como articulações; calcificação de ligamentos; ossificações que crescem para dentro e para fora da estrutura da coluna e que as radiografias revelam imagens semelhantes a um bico de papagaio , ou seja, a artrose.

Existem situações em que a artrose diminui o diâmetro do canal vertebral, podendo comprimir as estruturas nervosas e desencadear sinais e sintomas neurológicos, quadro clínico conhecido como estenose de canal vertebral, que apresenta maior incidência após os 50 anos.

ENTRE OUTRAS CAUSAS, TEMOS:

Doenças reumáticas inflamatórias: espondilite anquilosante, artrite psoriática, artrite reativa;

Espondilolistese; defeito que ocorre em uma das estruturas posteriores das vértebras e que pode causar deslocamento para frente de uma vértebra sobre outra; fraturas: por osteoporose ou acidentes;

Tumores: devido a metástases das mamas, próstata, rins e pulmões;

Infecções: que costumam ser de origem bacteriana.

TRATAMENTO E PREVENÇÃO

Hoje em dia, reconhecer melhor os fatores de risco que, na maioria dos casos, estão associados ao estilo de vida, que predispõem o ser humano a ter dor, permite a instituição de medidas que facilitam a prevenção da lombalgia.
A empreitada para obter sucesso exigirá disciplina e determinação, porque cabe somente a você executar as recomendações médicas para afastar as ameaças.
Assim sendo, a correção da postura, o controle alimentar para redução do sobrepeso, a realização de exercícios – em especial, os de alongamento físico – e o cessar do tabagismo são essenciais.