quinta-feira, 17 de agosto de 2017

CIGARRO O ASSASSINO DA PELE

Claro que você já ouviu falar e está cansada de escutar sobre todos os males do cigarro: o câncer, o infarto, os males que pode causar ao feto durante a gravidez e as crianças que estejam no mesmo ambiente. Você, tão cheia de vida, tão ativa, elétrica, já pensou no que a pele do seu rosto tem sofrido com o fumo? Você sabia, por exemplo, que o cigarro praticamente "come" o colágeno que está na camada mais profunda? Justamente o colágeno, responsável pela firmeza, hidratação viço e sustentação da cútis.
Mesmo em mulheres jovens, na fixa dos 30 anos, que já fumam há cerca de três anos, especialmente nas regiões anteriores do couro cabeludo, em que os fios vão ficando mais fininhos, o couro cabeludo cada vez mais visível próximo a testa. O crescimento dos fios ficam mais lentos e se o cabelo já foi agredido por procedimentos químicos, como a descoloração e alisamento, há alarmantes possibilidades de os fios se partirem com mais facilidade. Sobrancelhas ficam finas e com falhas. Cílios parecem menores do que já foi no passado. Celulite, então, logo surge quando há menor circulação sanguínea nas sofridas áreas dos quadris e coxas. O fumo prejudica consideravelmente a chegada de sangue na região e, até mesmo nas mais magrinhas, podem começar as alterações progressivas e características nada agradável.
A voz da fumante vai ficando lentamente mais grossa e rouca, assemelhando-se a voz de uma mulher mais velha. As unhas ficam mais moles, fracas e desfolham facilmente graças a menor nutrição sanguínea que recebem na matriz.