segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Esquadrado Anti-Infarto

(AGORA CONTRA A OBESIDADE E O DIABETE)

Um programa alimentar consagrado no controle da hipertensão acaba de ser eleita a dieta mais completa do planeta

A HISTÓRIA DO PELOTÃO DASH
Ele nasceu em 1997 baseado em preceitos científicos. A primeira versão não propunha cortes no sal, que foram adotados em sua atualização. “É uma dieta com impacto significativo sobre a pressão e que pode reduzir a mortalidade por derrame em até 30%”, diz Emilton Lima Júnior, cardiologista da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

Grãos e cereais integrais
Quanto consumir: 8 porções (cada uma equivale a ½ xícara de chá ou 1 fatia de pão) ao longo do dia.
O que eles têm: fibras, vitaminas e minerais.
Efeito cardiovascular: as fibras reduzem a absorção de colesterol, evitando o tráfego de gorduras pelo sangue Vitaminas e minerais são antioxidantes e ajudam a evitar o processo que culmina no entupimento do vaso.
No peso e no diabetes: as fibras propiciam saciedade e facilitam o controle do açúcar na circulação.

Frutas
Quanto consumir: de 4 a 5 porções ao dia (cada uma corresponde a 1 unidade média ou 1 copo de suco)
O que elas têm: fibras e antioxidantes.
Efeito cardiovascular: a ação conjunta desses dois nutrientes reduz o risco de placas se formarem e crescerem dentro das artérias.
No peso e no diabete: os componentes fibrosos diminuem a absorção de glicose e evitam seus picos no sangue. Só vale tomar cuidado com frutas açucaradas, como a uva.

Verduras e hortaliças
Quanto consumir: de 4 a 5 porções ao dia (cada uma equivale a 1 xícara de chá do vegetal cru ou 1/2, se ele for cozido).
O que ela tem fibras: vitaminas e minerais.
Efeito cardiovascular: já falamos do papel das fibras, mas as hortaliças são cruciais mesmo por fornecerem potássio, mineral que relaxa os vasos sanguíneos.
No peso e no diabete: as fibras auxiliam a domar o açúcar no sangue e a eliminar a barriga de modo mais eficiente. E os vegetais são poucos calóricos, facilitando a perda de peso.

Leite e derivados magros
Quanto consumir: de 2 a 3 porções ao dia (cada uma corresponde a 1 copo de leite, 1 xícara de chá de iogurte ou 1 pedaço de 40 gramas de queijo).
O que ele tem: cálcio e proteína
Efeito cardiovascular: o destaque aqui vai para o cálcio, mineral que ajuda a impedir o disparo da pressão arterial.
No peso e no diabetes: estudos mostram que o cálcio interfere nas células de gordura, minimizando o acúmulo de peso, e contribui para o controle glicêmico.

Carnes magras
Quanto consumir: 2 filés pequenos por dia.
O que elas tem: proteína e, no caso dos pescados, que deveriam ser consumidos pelo menos duas vezes por semana, a gordura ômega-.
Efeito cadiovascular: proteínas são bem-vindas a todos os tecidos. O ômega-3 combate inflamações nas artérias.
No peso e no diabetes: há indícios de que o ômega-3 dos peixes favoreça a ação da insulina nas células. Quanto às carnes, dê preferência a cortes magros, como filé-mignon.

Leguminosas
Quanto consumir: 4 porções por semana (cada uma equivale a ½ xícara do alimento cozido).
O que elas têm: fibras e vitaminas como o ácido fólico – a soja ainda tem isoflavona, protetora do coração.
Efeito cardiovascular: as fibras diminuem os níveis de colesterol e o ácido fólico é uma vitamina que reduz o risco de formação de placas.
No peso e no diabetes: mais uma vez, o benefício vem das fibras, que controlam o apetite e as taxas de açúcar.

Oleaginosas
Quanto consumir: um punhado (40 gramas) quatro vezes por semana.
O que elas têm: vitamina E, selênio e gorduras boas.
Efeito cardiovascular: a vitamina E e o selênio resguardam as paredes dos vasos. As gorduras boas, como o ômega-3, atuam contra processos inflamatórios recorrentes.
No peso e no diabetes: São úteis para vencer a resistência à insulina por trás do diabete tipo 2. Mas não vale abusar, porque castanhas e afins são bem calóricas.

Óleos
Quanto consumir: de 2 a 3 colheres de chá por dia – priorize os de soja e canola para cozimento e o azeite de oliva para regar os pratos já prontos.
O que ele tem: gorduras mono e poli-insaturada.
Efeito cardiovascular: a versão monoinsaturada do azeite regula o colesterol e a poli, representada pelo ômega-3, ajuda a barrar inflamações nas artérias.
No peso e no diabete: a monoinsaturada parece atenuar a resistência à insulina. O ômega-3 batalha contra o peso.


Fonte: revista Saúde é Vital

.


O AVC acontece de repente...

AJA RÁPIDO

Derrame é o nome popular do acidente vascular cerebral (AVC), conseqüência de uma deficiência na irrigação sanguínea dessa região.

O tipo mais comum de AVC é provocado quando um coágulo bloqueia ou prejudica o fluxo de sangue e, em conseqüência, o de oxigênio e o de nutrientes, essenciais para o cérebro (esse é o chamado AVC isquêmico).

Outra causa de AVC é quando os vasos sanguíneos que irrigam o cérebro se rompem, provocando hemorragia para o interior do cérebro ou em torno dele (esse é o chamado AVC hemorrágico).

Sem oxigênio e nutrientes, as células nervosas no cérebro morrem rapidamente. Quando isso acontece, a parte do corpo controlada por essas células também pára de funcionar adequadamente. Os danos podem ser permanentes. Dessa forma, é importante agir rapidamente para reduzir os danos em longo prazo, físicos e mentais.

 AVC É MUITO COMUM?

O AVC é a segunda causa de morte mais comum em todo o planeta, logo atrás da doença cardíaca.

Todos os anos, 15 milhões de pessoas tem AVC, no mundo todo. Dessas, 5 milhões morrem e 5 milhões sofrem danos duradouros, tornando-se um sofrimento para a família e para a comunidade.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS MAIS COMUNS DO AVC?

Os sintomas mais comuns do AVC são o aparecimento repentino de:

Fraqueza ou dormência na face, nos braços ou nas pernas, geralmente afetando apenas um dos lados do corpo.
Dificuldade para articular as palavras ou compreender o que se diz.
Dificuldade súbita e transitória de enxergar com um ou ambos os olhos.
Dificuldade de caminhar, tontura, perda do equilíbrio ou da coordenação.
Dor de cabeça súbita intensa sem nenhuma causa conhecida.

As conseqüências de um AVC dependem de onde o fluxo sanguíneo foi bloqueado no cérebro ou de onde a hemorragia ocorreu. Algumas vezes, na forma isquêmica, os sintomas podem ser leves e durar um curto intervalo de tempo, por exemplo, alguns minutos – é o chamado ataque isquêmico transitório (AIT).
No entanto, mesmo sintomas leves e passageiros devem ser levados a sério e deve-se procurar um neurologista imediatamente.

A IMPORTÂNCIA DE UMA AÇÃO IMEDIATA DIANTE DA OCORRÊNCIA DE SINTOMA DE AVC.
O AVC é uma emergência neurológica!
Se achar que você, alguém da sua família ou uma pessoa próxima teve um AVC, é importante:

PROCURAR IMEDIATAMENTE UM SERVIÇO DE EMERGÊNCIA NO HOSPITAL MAIS PRÓXIMO PARA UM DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO COMPLETOS.

QUANTO MAIS CEDO UM PACIENTE DE AVC RECEBER UM TRATAMENTO, MAIOR SERÁ A PROBABILIDADE DE EVITAR DANOS EM LONGO PRAZO.

Um importante avanço no tratamento de AVC isquêmico (provocado por coágulos sanguíneos) é o desenvolvimento de novas terapias que podem dissolver o coágulo e restaurar o fluxo sanguíneo para o cérebro. Alguns tratamentos funcionam melhor se administrados até três horas após o início dos sintomas. Infelizmente, a maioria dos pacientes não chega ao hospital em tempo de receber essa forma de terapia. De qualquer modo, todo paciente deve ser encaminhado ao hospital o mais rapidamente possível, pois somente nesse local o tratamento apropriado poderá ser fornecido. Os procedimentos diagnósticos realizados no hospital são necessários para diferenciar o AVC de outras doenças igualmente graves e com sintomas semelhantes.

Após um AVC, frequentemente são necessários tratamentos a longo prazo com medicamentos adequados, como antitrombóticos, a fim de ajudar a prevenir futuros coágulos sanguíneos.

REABILITAÇÃO!

A reabilitação é geralmente indicada após um AVC para ajudar os pacientes a se manterem capacitados ou recuperarem movimentos que foram perdidos, mantendo assim sua independência. A reabilitação pode incluir ajuda para desempenhar atividades como caminhar e falar, além de tarefas básicas como tomar banho, vestir-se, comer e usar o toalete, e outras mais complexas como os afazeres domésticos, usar o telefone e dirigir.

COMO REDUZIR O SEU RISCO DE AVC?

Os fatores de risco geralmente estão presentes durante um longo período antes de o AVC acontecer.
Quanto mais cedo você começar a reduzir seu risco, maiores serão as probabilidades de prevenir a ocorrência de um AVC.
As pesquisas têm demonstrado que o risco de um AVC pode ser reduzido fazendo simples alterações no seu modo de vida.

MUDANÇAS NO MODO DE VIDA

Se você fuma – pare!
Reserve pelo menos 30 minutos por dia para fazer alguma atividade física como caminhadas, por exemplo.
Inclua na sua dieta frutas e vegetais diariamente.
Mantenha o peso adequado.
Controle os níveis de sal, gordura e açúcar em sua dieta.
Evite o consumo excessivo de álcool.
Se você tem mais de 50 anos, verifique sua pressão pelo menos uma vez ao ano.
Estimule os membros da sua família e outras pessoas próximas a manter estilos de vida saudáveis.

Cuidados Especiais

Se você tem hipertensão arterial, saiba que o controle da pressão pode reduzir o risco de AVC em quase 50%.
Se você tem diabetes ou colesterol elevado, controle-se conforme orientação de seu médico.

Tratamento em longo prazo com medicamentos

Vários medicamentos podem ser usados para prevenir a formação de coágulos sanguíneos e ajudar a reduzir o risco de um novo AVC. Os principais tratamentos são à base de antiagregantes plaquetários, que agem mantendo o fluxo sanguíneo, tornando-o menos propenso a aderir nas paredes dos vasos. A terapia em longo prazo com medicamentos tem como objetivo não apenas reduzir o risco de AVC inicial/subseqüente, mas também o de outros eventos isquêmicos, como ataques cardíacos.

FONTE DE INFORMAÇÃO: FOLDER SANOFI AVENTIS







Aliado contra o câncer

BRÓCOLIS

Com eficácia comprovada por pesquisadores norte-americanos, o legume ganha status de poderoso remédio na luta contra tumores cancerígenos

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Linus Pauling, uma substância chamada sulforafano, presente também na couve-flor, é um importante auxiliar na prevenção e tratamento de tumores.
Isso porque o mesmo consegue destruir apenas as células cancerígenas, deixando intactas as demais células saudáveis do órgão afetado.
Os cientistas analisaram casos de pacientes que sofriam de câncer de próstata.
Durante o estudo, o sulforafano mostrou-se eficiente em inibir uma enzima conhecida como HDAC.
Tal inibição é um dos campos mais promissores no tratamento do câncer – e tem sido o foco tanto dos tratamentos medicamentosos quanto dos alimentares.
O legume também tem um alto teor de bioflavonoides e outros antioxidantes. Essas substâncias protegem as células contra as mutações e os danos provocados por moléculas instáveis.

DEZ DESTAQUES DO RAIO X DO BRÓCOLIS

1-      O brócolis contém vitaminas e minerais essenciais em abundância;
2-      Uma xícara de brócolis cozido contém somente 40 calorias;
3-      Além do baixo valor calórico, uma xícara de brócolis contém 130 mg de cálcio,1,2 mg de ferro e 5 g de proteínas
      4-  Essa quantidade de brócolis cozido também contém 2,5 g de fibras e de laxativos 
Naturais, este legume é recomendado para prevenir prisão de ventre;
      5-  O brócolis pode ser adquirido durante o ano todo na maioria dos supermercados
            e feiras;
      6-  O congelado tem o mesmo valor nutritivo do fresco;
      7-  Quando as flores do brócolis começam a ficar amareladas, a verdura já passou do
            Ponto e fica menos nutritiva;
      8-  Mesmo podendo ser consumido cru, a maioria das pessoas prefere comê-lo
            Cozido;
      9- É possível preservar a maior parte dos seus nutrientes cozinhando-o no vapor;
     10-Cozinhá-lo na água destrói boa parte das substâncias que combatem o câncer,
           Assim como a vitamina c e outros nutrientes.



FONTE: COLEÇÃO FRUTAS E SAÚDE

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Acredite se quiser

Para manter a realeza, com o rei Juan Carlos e a rainha Sofia custa 8,4 milhões de euros à Espanha.

Atitude Consciente

O HMCG PARABENIZA OS SEUS COLABORADORES PELAS CONQUISTAS NAS AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS APURADAS NO RELATÓRIO DE GESTÃO.


Implantação do projeto CURA–redução inicial de 24,3% no consumo de água.

Substituição do sistema de limpeza Mop para Bio – economia de 99.000 litros de água por ano.

Reciclagem de 100% dos papelões e das lâmpadas de mercúrio.

Reciclagem de óleo de cozinha, pilhas e baterias.

Implantação do projeto “TI-VERDE” – redução no consumo de papéis e no custo de energia elétrica, através da automatização e aplicação de regras de standby e hibernação para computadores.

Implantação do projeto “PARQUE TECNOLÓGICO” – aquisição de equipamentos de alta performance, com imagens digitalizadas (tomografia, RX, Ultrassom) para desativar o sistema de revelação de imagens por processos químicos e eliminar resíduos como a prata e o filme, além da redução do gasto de energia elétrica.

Fonte: folder Christóvão da Gama

Mitos e verdades na alimentação na terceira idade

A nutrição é um assunto de extrema importância em todas as fases da vida, mas se torna ainda mais importante naquelas em que estamos mais frágeis, ou seja, mais susceptíveis a alterações que podem prejudicar a saúde, como por exemplo, na infância, na terceira idade, na presença de alguma doença e etc.
Por esse motivo, existem muitos mitos e inverdades que rodeiam a nutrição na terceira idade. Nós temos que tomar muito cuidado com o que ouvimos ou vemos divulgado nos meios de comunicação, pois podem existir notícias e informações tendenciosas e que muitas vezes não se aplicam a maioria da população.

Sempre que você tiver dúvidas a respeito de aspectos relacionados à nutrição, o ideal é que você procure um nutricionista ou seu médico.

Vamos tentar esclarecer alguns mitos mais comuns sobre nutrição.

É mito ou verdade que as pessoas com mais de 60 anos sentem menos sede?
VERDADE. Essa é uma alteração fisiológica muito comum em idosos e por esse motivo é muito importante que o ato de beber água se torne um hábito na sua vida, beba água mesmo sem sentir sede.

É comum ter a sensação de indigestão com o consumo de alguns alimentos?
VERDADE. Também devido a algumas alterações fisiológicas, o processo de digestão e/ou absorção em alguns idosos fica prejudicado. É muito comum ouvir no consultório a seguinte reclamação: “Eu não consigo mais comer carne” “Eu comi um bife e parece que eu comi um boi”. Um dos motivos que pode levar a esse sintoma é a diminuição na produção de algumas enzimas responsáveis pela digestão da proteína. Isso entre outros fatores pode causar dificuldade no processo de digestão.
Mas não podemos esquecer que a proteína é fundamental para o bom funcionamento do nosso corpo, principalmente dos nossos músculos, por isso se você não está conseguindo comer carne vermelha tente outras opções, como frango e o peixe. Se os sintomas de mal-estar continuar, procure uma nutricionista ou seu médico.

Outro alimento campeão em número de reclamações é o leite.

É normal o idoso preferir comer alimentos mais pastosos?
MITO. Não é normal você só querer comer alimentos pastosos. Se isso está acontecendo é necessário descobrir a causa. Algumas possíveis causas são:

Problemas dentários como cáries, que podem causar dor, ou ainda próteses dentárias mal ajustadas, que além de dor também causam desconforto – Procure o seu dentista.
Engasgos: Podem indicar algum problema de deglutição – Procure seu médico.
Cansaço ou dor ao mastigar alimentos duros: Pode indicar algum problema de saúde – Converse com seu médico.

Geralmente, o alimento pastoso é nutricionalmente mais pobre e deficiente em alguns nutrientes, então não é saudável manter uma dieta pastosa por longos períodos.

È verdade que o paladar pode mudar com a chegada da idade?

VERDADE. Essa também é uma alteração fisiológica que pode acometer alguns idosos. Portanto, é comum você deixar de gostar de alimentos que antes apreciava.

Os temperos naturais, como as ervas, são uma ótima saída para deixar os alimentos mais saborosos e estimular o seu paladar. Vale a pena tentar!

Existem muitos outros mitos sobre nutrição, a intenção aqui foi apenas exemplificar e reafirmar que para ter uma nutrição equilibrada e saudável é preciso respeitar os limites de cada um e principalmente, procurar a orientação de um profissional.

Por Karina Guedes de Oliveira
Nutricionista
Jornal da 3ª Idade


Beleza

CUIDADOS PÓS-COLORAÇÃO

As tinturas estão cada vez mais modernas e já trazem agentes hidratantes em suas fórmulas, mas é importante manter cuidados especiais para os fios continuarem sempre bonitos.

1-      Uma dica importante é fazer, pelo menos a cada quinze dias, uma hidratação capilar e esse intervalo é menor se os cabelos forem claros. Xampu, condicionador e leave-in devem ser específicos para fios coloridos.
2-      Não lave os cabelos todos os dias, porque assim podem desbotar rápido.
3-      Proteja seus cabelos do Sol. Use chapéu, lenço ou leave-in com protetor solar.
4-      Cuidado com a piscina e a água salgada. Água clorada e do mar podem modificar a cor dos cabelos. Se for nadar, use touca ou lave os cabelos logo em seguida.

Fonte: Revista Ponto de Encontro
           Drogaria São Paulo