sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Vulvovaginite na Infancia

A região genital das meninas é muito delicada r requer cuidados de higiene para evitar esta inflamação.

A vulvovaginite e uma inflamação que ocorre na vagina. Nos consultórios pediátricos, não são raras as queixas ginecológicas tais como vermelhidão, ocorrida e corrimentos nas meninas desde tenra idade.
A maioria das alterações relacionadas à vulvovaginite na infância possui cauda benigna, respondendo bem à simples remoção do agente irritante. A pele dos grandes lábios e dos pequenos lábios está sujeita as mesmas adversidades da pele dos outras regiões do corpo. A vermelhidão da pele, com ou sem corrimento associado , esta relacionado a exposição a agentes irritantes locais, como sabonetes, cremes, produtos utilizados para lavar as roupas intimas, alem de resíduos de fezes e urina.
As vulvovaginites especificas nas crianças e adolescentes tem o mesmo agente etiológicos da mulher adulta, sendo mais frequente a Candida albicans. É comum em crianças a manifestação de cândida apos uma rica dieta em produtos lácteos, corantes artificiais ou aumento de eliminação de açucares na urina. Razões de natureza psicológica, com estress em época de provas, podem desencadear a vulvovaginite micótica em adolescentes. Deve-se afastar diabetes e anemia, alem do uso de roupas justas e de material sintético.

Fatores desencadeantes

- Falta de higiene na região perineal
- Costume de se sentar na areia sem calcinha
- Infecção respiratória
- Infecção de pele
- Invasões na vagina por parasitose, principalmente o Enterobius vermiculares (oxiúros)
- Corpos estranhos na vagina
- Infecção de trato urinário
- Agente químicos: sabonetes; medicamentos , desodorantes íntimos.
- Agentes alergênicos: calcinhas de material sintéticos; sabão ou amaciantes de roupas;
- Fatores necrológicos
_ Neoplasia vaginal ou uterina;

Para tratar a vulvovaginite pôr fatores irritantes, são indicados

- Lavar a região perineal generosamente com água apos a evacuações;
- Trocar as fraldas com frequência, evitando o contato prolongado co a urina e fezes;
- Não utilizar amaciante nas roupas intimas;
- Utilizar apenas roupas intimas de algodão;
- Evitar roupas de nylon, lycra ou similares que impedem a livre circulação de ar;


Fonte: Revista Materlife









Enxaqueca prejudica o equilíbrio.

A dor insuportável que martela de um lado da cabeça, deixa os olhos sensíveis à luz e faz com que se vejam pontos luminosos afeta também a estabilidade postural. A fisioterapeuta Gabriela Carvalho, que observou o problema diz que, além das alterações no campo visual, sua influencia no cerebelo - parte do cérebro fundamental no controle motor - explicaria a dificuldade de se manter em pé sem titubear. "A falta de equilíbrio nos torna mais lentos e ameça a mobilidade em ações como atravessar uma rua movimentada, caminhar no escuro e até subir escadas" Quem tem mais de seis crises mensais deve buscar ajuda especializada, que pode ser medicamentosa e incluir até fisioterapia.

85% dos que enxergam brilhos durante a dor tiveram vertigens.