terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Câncer de próstata

CONHECIMENTO É A MELHOR PREVENÇÃO

Atualmente, o câncer de próstata é o terceiro tumor maligno mais diagnosticado no Brasil e é uma importante causa de mortalidade na nossa população. Como a doença geralmente NÃO PROVOCA SINTOMAS EM SUA FASE INICIAL e, quando diagnosticado precocemente, tem um elevado potencial de cura, o Instituto Nacional do Câncer e a Sociedade Brasileira de Urologia recomendam que os HOMENS A PARTIR DE 45 ANOS FAÇAM, ANUALMENTE, UMA AVALIAÇÃO CLÍNICA.

DÚVIDAS

SE OS RESULTADOS DOS EXAMES PREVENTIVOS FOREM ALTERADOS, O DIAGNÓSTICO DE CÂNCER JÁ FICA CONFIRMADO?

Não. Muitas situações não relacionadas ao câncer podem levar a alterações no toque retal e principalmente no valor do PSA. As infecções do trato urinário, por exemplo, podem elevar o PSA sem nenhuma relação com câncer. O mesmo se aplica à relação sexual na noite anterior à coleta do PSA, à prática de andar de bicicleta, a cavalo etc.

OS SINTOMAS CARACTERÍSTICOS DE PROBLEMAS NA PRÓSTATA, COMO DOR E DIFICULDADE PARA URINAR, PODEM SER SINAIS DE CÂNCER?

Geralmente o câncer de próstata não causa sintomas na fase inicial.
Os sintomas relacionados com a dificuldade para urinar geralmente são ocasionados pelo crescimento benigno da próstata, que é muito comum em todos os homens depois dos 40 anos. Em aproximadamente 20% dos homens, esse crescimento pode causar algum grau de compressão do canal urinário e, então, os referidos sintomas.

FONTE: FOLDER FLEURY
               MEDICINA E SAÚDE

Nutrição

O ARROZ E SEUS BENEFÍCIOS

O arroz é um dos cereais mais produzidos e consumidos no mundo. É uma excelente fonte de energia, devido à alta concentração de amido, fornecendo também quantidades menores de proteínas, vitaminas e minerais, e possui baixo teor de lipídios.

Os nutrientes não estão uniformemente distribuídos nas diferentes frações do grão. As camadas externas apresentam maiores concentrações de proteínas, lipídios, fibra, minerais e vitaminas, enquanto o centro é rico em amido. Dessa forma, o polimento do arroz, formando o arroz branco, resulta em redução no teor de nutrientes, exceto de amido, originando as diferenças na composição entre o arroz integral e polido. Apesar dos carboidratos serem os principais constituintes do arroz, ele apresenta pequena quantidade de açúcares livres.

A concentração de fibras é maior nas camadas externas do grão e diminui em direção ao centro, resultando em baixa concentração desses componentes no arroz branco e sendo maior no arroz integral. Entre os cereais, o arroz apresenta uma das maiores concentrações de lisina, resultando em balanço de aminoácidos mais completo.

O arroz contém ácidos graxos insaturados, que possuem papel importante em vários processos fisiológicos e que, por não serem sintetizados pelo organismo humano, devem ser supridos pela alimentação.

No arroz integral e branco encontram-se os minerais: fósforo, potássio e magnésio, sendo que o arroz integral tem maior concentração de minerais do que o branco. O arroz contém principalmente vitaminas do complexo B e a vitamina E.

Pesquisas têm demonstrado o efeito benéfico de compostos fenólicos presentes no arroz para a saúde humana. Este efeito decorre de sua ação antioxidante, auxiliando na prevenção de danos celulares e de doenças crônicas, incluindo doenças cardiovasculares, envelhecimento, diabetes e câncer. No arroz, maior atividade antioxidante é observada nos grãos integrais.

FONTE: ARTIGO CIENTÍFICO: LEITE DE COCO: ARROZ: COMPOSIÇÃO E CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS
REVISTA ANAD.



Hipertensão

Hipertensão arterial ou “pressão alta” é uma doença de múltiplas causas, caracterizada pelos valores da pressão arterial cima dos considerados normais, em pelo menos duas medidas, com a pessoa em repouso.

Pressão arterial é a pressão do sangue dentro das aterias, mantida pela força propulsora do coração, elasticidade da aorta e resistência ao fluxo sanguíneo exercida pelas artérias pequenas. No ser humano é, habitualmente, medida pelo método auscultatório e é caracterizada por dois valores: o máximo (pressão sistólica) e o mínimo (pressão diastólica). Os valores são expressos em milímetros de mercúrio (mmHg) ou centímetros de mercúrio(cmHg).

A hipertensão é uma doença muito prevalecente, que atinge cerca de 15 a 20% da população brasileira. Muitas pessoas nem sabem que têm pressão alta, pois nada sentem.
Os níveis constantemente elevados de pressão arterial vão comprometendo, em silêncio, órgãos nobres como coração, rins, cérebro e olhos, considerados os “órgãos–alvo” da hipertensão. É possível evitar esse quadro com base em medidas preventivas e no diagnóstico precoce.

O QUE ACONTECE NO ORGANISMO DE UM HIPERTENSO?

As artérias vão progressivamente, perdendo elasticidade, ficam mais “endurecidas” e dificulta a passagem do sangue, razão pela qual o coração precisa exercer uma pressão maior para bombeá-lo. As alterações decorrentes desse esforço refletem em artérias de outros órgãos como rins, cérebro e retina.

SINTOMAS
A maioria das pessoas que tem hipertensão não apresenta sintomas. Quando presentes, os mais comuns são tonturas, zumbidos no ouvido e eventualmente sangramento nasal
Dor de cabeça pode ser um sintoma, mas a associação com elevação da pressão arterial não é tão freqüente. Outros sintomas como palpitações, dor no peito, falta de ar, inchaço, alterações visuais, perda de memória e de equilíbrio, palidez, problemas urinários e dores nas pernas demonstram que os órgãos-alvo da doença podem estar comprometidos. Nesses casos, convém procurar um médico imediatamente.

CAUSAS
Em 90 a 95% dos casos não há causa conhecida para a hipertensão. Mas alguns fatores parecem ter relação com a doença como problemas endócrinos e renais, gravidez, uso freqüente de alguns medicamentos (anticoncepcionais, antiinflamatórios não-hormonais, descongestionantes nasais, antidepressivos, corticosteróides e moderadores de apetite) e de drogas como cocaína. Outras condições associadas são obesidade, alimentação com excesso de sal, ingestão de bebidas alcoólicas e outros. É importante lembrar que a pressão arterial varia nas 24 horas do dia e pode ser influenciada pelo estado psicológico ou emocional da pessoa, hábitos e atividades cotidianas.

TRATAMENTO
Para algumas pessoas, uma dieta com pouco sal e menos calorias, além de modificações de hábitos de vida como deixar de fumar, ingerir menos álcool, fazer exercícios e perder peso, são suficientes para controlar a pressão. Outros casos, porém, necessitam uso regular de medicamentos. É importante considerar que só o médico pode estabelecer o tipo de hipertensão, avaliar o estado dos órgãos-alvo da doença e prescrever o tratamento mais indicado.

FONTE: FOLDER FLEURY
               MEDICINA E SAÚDE

Ansiedade

A ansiedade é um sentimento de apreensão desagradável, vago, acompanhado de sensações físicas como vazio (ou frio) no estômago (ou na espinha), opressão no peito, palpitações, transpiração, dor de cabeça, ou falta de ar, dentre várias outras.
A ansiedade é um sinal de alerta, que adverte sobre perigos iminentes e capacita o indivíduo a tomar medidas para enfrentar ameaças. O medo é a resposta a uma ameaça conhecida, definida; ansiedade é uma a uma ameaça desconhecida, vaga.
Não é um estado normal, mas é uma reação normal, assim como a febre não é um estado normal, mas uma reação normal a uma infecção.
As reações de ansiedade normais não precisam ser tratadas por serem naturais e auto-limitadas. Os estados de ansiedade anormais, que constituem síndromes de ansiedade são patológicos e requerem tratamento específico.
A ansiedade é um acompanhamento normal do crescimento, da mudança, de experiência de algo novo e nunca tentado, e do encontro da nossa própria identidade e do significado da vida.
A ansiedade patológica, por outro lado caracteriza-se pela excessiva intensidade e prolongada duração proporcionalmente à situação precipitante.

FONTE:
PSICOSITE / ANSIEDADE E SUAS CARACTERÍSTICAS
REVISTA ANAD

Frases

O UNIVERSO É UM RELÓGIO MUITO PERFEITO.
PORTANTO, SOMOS OBRIGADOS A ADMITIR A EXISTÊNCIA DO RELOJOEIRO.
                          Voltaire


COMO A GOTA D’ÁGUA QUE REFLETE A IMENSIDADE DO CÉU, ASSIM TAMBÉM A VONTADE DE DEUS SE MANIFESTA NOS ACONTECIMENTOS QUE SE SUCEDEM.
                                  Beto


CADA MINUTO É UM  MILAGRE QUE NÃO SE REPETE.
                                                                                                    Beto

Lembrete educativo

LIPÍDEOS

Lipídeos significam para gordura no sangue. As gorduras fazem parte de cada célula do organismo. Incluem colesterol e triglicerídeos, substâncias produzidas pelo organismo ou absorvidas dos alimentos.

O organismo utiliza o colesterol para formar as paredes das células e produzir certas vitaminas e hormônios. Os triglicerídeos são utilizados em forma de gordura armazenada, que nos mantém aquecidos, protege os órgãos e fornece reservas de energia.
O colesterol e os triglicerídeos são transportados pelo sangue, mas só conseguem se locomover se forem carregados, e são as lipoproteínas (lipo significa gordura) que desempenham essa função, sendo essa razão para que sejam denominadas lipídeos.

Os tipos de Lipídeos são:
Lipoproteína de baixíssima intensidade (VLDL).
O VLDL transporta triglicerídeos, colesterol e outras gorduras. Deposita os triglicerídeos e outras gorduras. Deposita os triglicerídeos e outras gorduras no tecido adiposo e depois se transforma em LDL.

Lipoproteína de baixa intensidade (LDL). O LDL transporta o colesterol para as partes do organismo que necessitam dele. Ao longo do caminho, ele vai aderindo às paredes dos vasos sanguíneos, o que pode levar à aterosclerose ou endurecimento das artérias. Quanto menos LDL no sangue, melhor.
Lipoproteína de alta intensidade (HDL). O HDL leva o colesterol das paredes dos vasos para o fígado, que o quebra e o elimina do organismo.
Quanto mais HDL no sangue melhor.

As pessoas com diabetes geralmente tem altas taxas de lipídeos, o que aumenta o risco de doença cardíaca, infarto e derrame. Para reduzir o risco, é bom tentar saber como estão essas taxas.

AS TAXAS MAIS SAUDÁVEIS DE LIPÍDEOS

  • Colesterol total inferior a 200 mg/dl
  • Colesterol LDL inferior a 100 mg/dl
  • Colesterol HDL superior a 40mg/dl para homens e superior a 50mg/dl para mulheres.
  • Triglicerídeos inferiores a 150 mg/dl
  • Se suas taxas de lipídeos se comparam a essas, ótimo! Caso contrário, siga os seguintes passos:

COMO MELHORAR AS TAXAS DE LIPÍDEOS

  • Primeiro, controle a diabetes. Isto significa manter a glicemia dentro dos limites indicados pelo médico. Com a diabetes descontrolada, fica mais difícil melhorar as taxas de lipídeos.
  • Emagreça, se precisar. O excesso de peso dificulta o controle glicêmico e pode elevar o colesterol total. Além disso, emagrecer eleva o bom colesterol HDL.
  • Comece a reduzir o consumo de gordura saturada. O fígado utiliza a gordura consumida para produzir VLDL. Quanto mais gordura for consumida, maior será a quantidade de VLDL produzida pelo fígado. Mais VLDL significa mais colesterol LDL prejudicial.
  • Substitua as gorduras saturadas (manteiga, banha) por gorduras monoinsaturadas (óleos de canola, oliva). As gorduras elevam o LDL e as taxas de colesterol total. As monoinsaturadas as baixam.
  • Consuma menos alimentos ricos em colesterol, que incluam miúdos, como fígado, e gema de ovo. Se você tiver o hábito de comer ovos todos os dias, reduza para três ou quatro por semana. Outra possibilidade é utilizar apenas as claras.
  • Consuma alimentos ricos em fibras. A fibra solúvel remove o colesterol do organismo. Aveia, feijões, ervilhas, frutas frescas e arroz integral são ótimas escolhas.
  • Saia para uma caminhada acelerada, jogging, natação e esqui elevam o bom colesterol HDL. Descubra exercícios que goste de praticar.
  • Se você for fumante, reduza ou deixe o cigarro. O fumo diminui o HDL.
  • Tome a medicação receitada pelo médico.

Faça um exame de lipídeos pelo menos uma vez por ano ou com mais freqüência se assim for recomendado pelo médico.


FONTE: ANAD

L.E.R./ DORT

Lesões por Esforços Repetitivos – Disfunções Ósteomusculares Relacionadas
Ao Trabalho

As lesões por esforços repetitivos- L.E.R.- como são designadas rotineiramente as afecções que acometem tendões, sinóvias, músculos, nervos, fáscias, ligamentos, isolada ou associadamente, com ou sem degeneração de tecidos, atingindo principalmente os membros superiores, região escapular e pescoço, sendo de origem ocupacional, podem se originar a partir dos seguintes elementos:

1-      Uso repetitivo de grupos musculares;
2-      Uso forçado de grupos musculares;
3-      Manutenção de posturas inadequadas;
4-      Tensão psicológica decorrente do ritmo, intensidade, duração da jornada ou mecanismos de controle do trabalho; e
5-      Fatores relacionados aos postos de trabalho, aos equipamentos e às condições de trabalho que limitam a autonomia dos trabalhadores sobre os movimentos do próprio corpo e reduzem sua criatividade e liberdade de expressão.

Algumas profissões têm pagado um preço muito alto em nome do progresso, e podemos citar como exemplo, as categorias de trabalhadores dos diversos setores da informática, principalmente analistas de sistemas, programadores e digitadores.

Recomenda-se tratamento de fisioterapia para aliviar as dores e “mudar” o movimento repetitivo.

FONTE: FOLHETO INFORMAÇÕES PRÁTICAS E DADOS ÚTEIS PARA O
               MÉDICO

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Pensamentos

O homem é como uma cebola, quando tiradas todas as cascas sobram às lágrimas.
É possível gritar por meio de uma lágrima.
O grande defeito do homem é que ele aprende a falar antes de saber calar.
Na juventude aprende-se a falar; na velhice, a calar.

BETO

Climatério

IMPORTÂNCIA DA SELEÇÃO ADEQUADA PARA TERAPÊUTICA

A interrupção permanente da menstruação é reconhecida após 12 meses consecutivos de amenorréia.
Antes de iniciar o tratamento da mulher climatérica com hormônios, tibolona ou fitoterápicos é importante selecionar as pacientes com propedêutica baseada em aspectos prático, que oferecem ao médico visão global da sua saúde.

A anamnese é ponto fundamental da propedêutica, pois nos dá informações dos sintomas próprios do climatério, história pessoal, familiar e hábitos de vida. A sintomatologia da síndrome do climatério varia em freqüência e intensidade para cada mulher avaliada. Eles são representados pelas manifestações neurogênicas como: ondas de calor ou fogachos, sudorese, calafrios, palpitações, cefaléia, tonturas, parestesia, insônia, falta de memória e fadiga; psicogênicas: depressão, ansiedade, irritabilidade e diminuição da libido; mamárias: mastalgia e mastodínia; urogenitais: secura vaginal, dispareunia, prurido vulvar, corrimento, irregularidade menstrual, síndrome uretral e incontinência urinária de esforço; ósteo-músculo-articulares: artralgia, mialgia. É importante considerar nas mulheres estudadas a presença ou não de patologias pregressas, bem como quais foram as mais freqüentes.
No climatério há tendência a aumento de peso. É importante verificar a distribuição da gordura, a qual se determina pela relação abdomino-glútea, dividindo a circunferência abdominal (medida a nível da cicatriz umbilical) pela circunferência do quadril.

EXAMES LABORATORIAS

As dosagens laboratorias dos hormônios FSH, LH, estradiol são importantes para estabelecer o diagnóstico de menopausa somente nos primeiros anos da falência ovariana.
Outras dosagens como hemograma, glicemia, colesterol total e frações (HDL: LDL; VLDL), triglicérides e glicemia são feitos de rotina com finalidades preventivas do risco cardiovascular em virtude do aumento da incidência de dislipidemias e distúrbios do metabolismo dos hidratos de carbono nesta faixa etária.
A uréia e creatinina são reservadas para os casos de hipertensão arterial ou suspeita de alterações renais.

COLPOCITOLOGIA ONCÓTICA

A colpocitologia cervicovaginal para prevenção e detecção do câncer de colo do útero é exame de valor incontestável nas diferentes faixas etárias da mulher, devendo-se salientar que mesmo no climatério em mulheres com ou sem atividade sexual ainda é procedimento importante.

MAMOGRAFIA

A mamografia como método de rastreamento de alterações da glândula mamária tem possibilitado cada vez mais o diagnóstico precoce de neoplasias malignas, principalmente em estágios iniciais. Este fato é de grande relevância, pois tem permitido o tratamento de forma menos agressiva preservando a estética feminina e, sobretudo aumentando a sobrevida.

A mamografia é obrigatória devido à incidência mais elevada do câncer de mama neste período etário da mulher. As mamas lipossubstituídas são as de controle mais fácil, enquanto as mamas densas exigem mais cautela na terapêutica.

ULTRASSOM

O ultrassom pélvico, de preferência o transvaginal, é exame importante no período do climatério, sobretudo na pós-menopausa para avaliação do tamanho do útero, espessura e características do eco endometrial e dos ovários permitindo detecção precoce de alterações, bem como monitorização de mulheres em terapia hormonal.

O eco endometrial na ultrassonografia quando apresenta espessura acima de 5mm orienta para prosseguir a propedêutica com histeroscopia e histologia do endométrio ou ultrassom com Doppler do endométrio.

A histologia revelou que 6 casos corresponderam a adenocarcinoma e um a hiperplasia atípica. As 82 pacientes nas quais vasos endometriais não foram identificadas à histologia não apresentaram atipia, destacando a importância da complementação com Doppler de endométrio, em mulheres na pós-menopausa com espessamento endometrial.

DENSITOMETRIA ÓSSEA

A densitometria óssea de dupla emissão realizada na coluna lombar e no colo do fêmur é o método mais utilizado para aferição da massa óssea. De acordo com a Organização Mundial de Saúde é um dos melhores métodos de avaliação da massa óssea, por esta razão é indicado para mulheres no climatério.

CONCLUSÃO

A propedêutica clínica e complementar minuciosa é extremamente importante na assistência à mulher no climatério para prevenção dos riscos metabólicos e de neoplasias freqüentes neste período etário. A análise dos riscos e benefícios verificados em diferentes tratamentos para a síndrome climatérica observados na literatura, ressalta a importância na seleção adequada das pacientes e no acompanhamento da terapêutica com hormônios, tibolona ou fitoterápicos, pois os requisitos para uma efetiva prescrição são praticamente os mesmos.

FONTE: LIVRETO BAYER
               POR ANGELA MAGGIO DA FONSECA
               E VICENTE RENATO BAGNOLI

Frase

24 horas na vida
Frases de médicos e pacientes e suas histórias inspiradoras de luta e vitória.

A DOR ENSINA E DÁ FORÇAS PARA ENFRENTÁ-LA.

FOLDER
HERBARIUM

Como melhorar sua fertibilidade natural


No dia da ovulação ocorrerá uma queda da temperatura, seguida por aumento de pelo menos um grau Celsius nas 24 horas subseqüentes e mantido por 14 dias consecutivos.
Com a chegada da menstruação, a temperatura basal corpórea voltará a cair. Em caso de uma possível gravidez a temperatura não apresentará a queda esperada e se manterá aumentada.
Anotar as temperaturas em um gráfico ou agenda pode facilitar a visualização do comportamento da temperatura basal corpórea e o padrão específico de cada mulher.

AVALIAÇÃO DO MUCO DO COLO UTERINO

O muco que sai do colo uterino pode ser percebido na entrada da vagina e apresenta características relacionadas a ovulação quando se apresenta escorregadio e claro (transparente), com consistência elástica, podendo formar “fios” quando esticado entre os dedos. A secreçãovaginal pode se apresentar com outras características, típicas de  muco do colo uterino dos períodos não-férteis como: seca, levemente úmida, úmida e pegajosa. A quantidade de muco também aumenta progressivamente ao longo do período menstrual, sendo máxima no dia da ovulação. A observação dessa característica, associada a curva de temperatura basal, se correlaciona muito bem com o momento da ovulação, às vezes de forma mais acurada que o cálculo do período fértil.

OUTRAS ALTERAÇÕES FÍSICAS E COMPORTAMENTAIS

Embora discretas essas modificações do corpo podem auxiliar no reconhecimento do período fértil e somar-se a outras informações importantes.
Durante a ovulação, pode ocorrer dor em baixo ventre, aguda e contínua, durante dois a três dias, podendo se localizar mais lateralmente. O aumento da libido também é evidente para grande parte das mulheres que ovulam, principalmente devido a alterações hormonais. Outras mulheres podem apresentar diferentes modificações do humor que não se evidenciam em outros dias do período menstrual.
Observar as modificações cíclicas de seu corpo pode ser uma forma muito útil de aumentar sua fertilidade.

CÁLCULO DO PERÍODO FÉRTIL

Para mulheres com ciclos menstruais regulares e de 28 dias de duração, o dia provável da ovulação seria ao 14º dia do ciclo, considerando que o primeiro dia do ciclo seja o primeiro dia da menstruação. Dessa forma, o período fértil se estenderia do 11º ao 17º dias do ciclo menstrual.

No entanto, a grande maioria das mulheres não apresenta ciclos de 28 dias de duração e, mesmo numa mulher com ciclos menstruais regulares, pode haver pequenas variações de duração dos ciclos. Considera-se normal, os ciclos menstruais com duração entre 21 e 35 dias.

Para aumentar a acurácia do cálculo do período fértil, orienta-se observar os intervalos entre as menstruações (duração dos ciclos menstruais) por um período de três a seis meses. Com essas informações, consideram-se como parâmetros a duração do ciclo mais longo e do ciclo mais curto. Do ciclo mais curto, subtrai-se 17 dias (14 dias da ovulação menos três dias após o ciclo). O intervalo de dias encontrado no cálculo entre o ciclo mais longo e o ciclo mais curto será considerado o período fértil dessa mulher.

EXEMPLO:

Ciclo mais curto: 26 dias
Ciclo mais longo: 30 dias
Ciclo mais curto subtrai-se 17 dias: 26-17= 9º dia
Ciclo mais longo subtrai-se 11 dias: 30-11= 19º dia
Período fértil: 9º ao 19° dia do ciclo.
Se a data da última menstruação for de 4 de janeiro, o período fértil será do dia 13 ao dia 23 de janeiro.

DIETA E ESTILO DE VIDA

UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL PODE AJUDAR A MELHORAR A FERTILIDADE EM MULHERES COM DISFUNÇÃO OVULATÓRIA.
EVITE FUMAR, ÁLCOOL, CAFEÍNA.

FONTE: FOLDER ACHÉ JULHO DE 2011

Alimentos campeões de veneno

Agrotóxicos

Livre-se dos inimigos

Ao manipular vegetais folhosos, exclua as folhas externas, mais expostas aos agrotóxicos. Lave muito bem os alimentos e, depois, deixe-os de molho em água pura por 40 minutos. O ideal seria consumir frutas e legumes sem a casca – mas, como são bastante  nutritivas, o jeito é caprichar na higienização.

Os orgânicos são a solução?
Segundo Luiz Claúdio, eles são mais seguros em relação à presença de agrotóxicos. Só que isso não significa que estão imunes à contaminação por bactérias, por exemplo. Então, nada de consumir antes de lavá-los.

OS CAMPEÕES DO VENENO

Pimentão
91,8%

Morango
63,4%

Alface
54,2%

Cenoura
49,60%

Pepino
57,4%

Fonte de pesquisa: Revista Saúde é Vital

Doze alimentos para comer em 2012

01- O DOMADOR DE PRESSÃO

De origem chinesa, o kiwi cruzou terras e mares até ser colocado à prova em um comparativo feito com a população escandinava. Pesquisadores do Hospital Universitário de Oslo, na Noruega, recrutaram 118 pessoas na faixa dos 55 anos com pressão arterial levemente alterada e as dividiram em dois grupos:
O primeiro comia uma maçã por dia – seguindo aquela máxima de que uma unidade diária da fruta é suficiente pra manter distância do médico – e o segundo ingeria três kiwis. Dois meses depois, avaliaram os voluntários e descobriram que a turma do chinês verdinho exibia uma pressão mais próxima do ideal.
Essa vantagem parece estar nos seus altos níveis de luteína, uma substância antioxidante que, além de proteger os olhos, reduziria a inflamação nos vasos sanguíneos.
“O consumo de kiwi sozinho não vai controlar a hipertensão, mas ele pode ser incluído na dieta como um lanche ou sobremesa”, diz a nutricionista Camila Garcia, do Hospital do Coração, em São Paulo.

02- CARNE DE PORCO

Nas últimas décadas, os porcos passaram por uma espécie de dieta e seu teor de gordura caiu.
Basta lembrar que o lombo, por exemplo, carrega menos gordura que uma picanha bovina.
Corte magros são ricos em proteína, e em vitaminas do complexo B, que zela pela pele, fígado e sistema nervoso.

03- FOLHAS ANTIGASTRITE

A rúcula é cultuada há séculos pelos povos do mediterrâneo por seus poderes digestivos e até afrodisíacos.
Cientistas da Universidade King Saud, na Arábia Saudita, testaram o extrato do vegetal
em ratos e notaram que ele tem um potente efeito contra gastrites e úlceras. Isso sugere, especialmente a quem sofre daquela queimação, que a rúcula ajuda a apagar o problema.
Tem vitaminas, minerais e ômega-3, gordura de atividade antiinflamatória.
Evite picá-la porque assim ela perde mais rápido suas propriedades.

04- PEQUENA GUARDIÃ DO GENOMA
      ACEROLA

Famosa por ser reduto de vitamina C, tem outros compostos que fazem a segurança de nossas células. (flavonóides).
Coma a vermelha especialmente nos sucos.
Também, lance mão da polpa congelada, já que as doses de vitamina C não cai muito.

05- CEREAL MULTIPREVENÇÃO

 A aveia foi catalogada como um dos primeiros alimentos funcionais da história, pois além de energia fornece substâncias capazes de evitar doenças. (fibra solúvel, betaglucana, que reduz o colesterol ruim, auxilia a controlar a carga de açúcar no sangue e até diminuiria o risco de alguns tumores. Com o objetivo de maximizar esse poder preventivo, estudiosos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul estão modificando o alimento para elevar a quantidade desse nutriente. “Queremos ampliar o teor de betaglucana de 4,5 para 8%, sem afetar os demais componentes nem alterar seu sabor”, esclarece o agrônomo Luis Carlos Federizzi, responsável pelo projeto. Assim, será possível comer menos aveia no dia a dia para conquistar seus múltiplos benefícios.

06- SORTE PARA OS VASOS

Algumas famílias cultivam o hábito de saborear sementes de romã na virada do ano para serem abençoadas com sorte e fortuna na nova temporada. Essa superstição pode ser levada a sério e adotada ao longo do ano se você quiser dar uma força ao controle da pressão e dos níveis de gordura no sangue. Em um estudo israelense com pessoas em tratamento de insuficiência renal, o suco da fruta ajudou a relaxar os vasos e livrá-los de lesões. Ao que tudo indica, a romã in natura apresentaria efeito parecido graças a seus antioxidantes. “Notamos que ela diminui os triglicérides e aumenta o colesterol bom”, conta Shema Lilach, pesquisadora do Western Galilee Hospital, em Israel.

07- VAI UMA FATIA PARA O CORAÇÃO?

Um trabalho da Universidade de Kentucky, nos Estados Unidos, revela que a melancia presta um belo serviço à circulação sanguínea. Em um experimento com o seu suco administrado a cobaias, os especialistas perceberam que o preparo fez diminuir a massa gorda e a formação de placas nos vasos. “A própria fruta também deve exercer esse desempenho”, diz o líder do estudo, Sibu Saha. Ora, a melancia é rica em citrulina, substância que, dentro do corpo, aciona um mecanismo de relaxamento das artérias. De acordo com  a nutricionista Regina Pereira, da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, ela se encontra tanto na parte vermelha quanto na branca.
“Como a fruta tem bastante açúcar, é melhor consumir entre as refeições para evitar picos glicêmicos”, recomenda.

08- GRÃOS DE FIBRA

O último Vigitel – enquete telefônica realizada em todo o país pelo Ministério da Saúde – constatou que o brasileiro está comendo cada vez menos feijão. Se você é integrante desse movimento, trate de reconvidá-lo à rotina.
O grão – e isso vale para todas as variedades – guarda proteína, fibras e minerais como o ferro, que afasta a anemia. “Mesmo quem está de regime pode consumi-lo, uma vez que ele contribui para a saciedade e ajuda a preservar a massa magra”, aconselha a nutricionista Carolina Duarte, da clínica Nutrício, em Belo Horizonte.

09-GOLES QUE ESPANTAM CÂNCER

O cafezinho não afugenta só aquela preguiça. Bastante investigado nos últimos anos, ele vem demonstrando que defende o coração, afasta a depressão e, agora sim, La vem noticia: ate ajuda a impedir o surgimento de certos tumores. A chancela vem de um estudo da respeitada universidade Harvard, que averiguou dados de cerca de 70 mil americanas. Entre àquelas que bebiam mais de quatro xícaras por dia, observou-se um risco 25% menor de ter um câncer no endométrio, tecido que reveste o útero. Muito café? Pois saiba que as mulheres que tomaram duas xícaras tiveram um 7% menor. “a bebida tem um alto poder antioxidante e anti-inflamatorio, o que justificaria sua proteção contra alguns tipos de câncer”, afirma a nutricionista Yojin Je, uma das autoras do trabalho, que não levou em conta o tipo de café nem o preparo.

10-BONITO NÃO SÓ NA APARÊNCIA

Quando a gente pensa em pêssego, vem a cabeça uma fruta linda e suculenta. Só que a realidade nem sempre e a mesma: por vezes deparamos com exemplares mirrados, sem cor, ácidos e que ainda estragam em pouco tempo. A empresa brasileira de pesquisa agropecuária desenvolveu novos cultivadores com pêssegos mais vistosos, carnudos e doces, algo que ajuda a driblar de vez as resistências ao alimento. ”Essas mudanças são ótimas porque estimulam o consumo de uma fruta pouco calórica e repleta de antioxidantes e fibras”, opina a nutricionista Carolina Duarte.

11-GALINHA PARA CUCA

Os ovos já foram resgatados do ostracismo na culinária saudável, mas ganham ainda mais reconhecimento com uma descoberta da professora de neurologia Rhoda Au e colegas da universidade de Boston, nos Estados Unidos. Eles decifraram um elo entre a ingestão colina, substancia encontrada, sobretudo na gema, e uma maior proteção do cérebro contra o avançar da idade. “ela e uma percussora da acetilcolina, essencial a transmissão dos impulsos nervosos” explica Rhoda. Sabe-se que portadores de Alzheimer possuem uma menor concentração desse mensageiro químico.

12-HÓSPEDES ESPECIAS

Não param de sair pesquisas esmiuçando a importância dos probióticos, bactérias benignas presentes em iogurtes e leites fermentados, na prevenção e no controle de males que vão de constipação a obesidade. Nessa linha, cientistas da universidade de Washington, em solo americano, flagraram em ratos que o consumo de probióticos interfere no aproveitamento de nutrientes no intestino, o que pode ajudar a entender o impacto desses micro-organismos na regulação do corpo e na manutenção do peso. ”Isso precisa ser avaliado em seres humanos, mas já sabemos que os probióticos melhoram a nossa flora e a imunidade”, diz o nutrólogo Celso Cukier, do Hospital e Maternidade São Luiz, na capital paulista.

Fonte: REVISTA SAÚDE É VITAL


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Depressão

Como é?

Os sintomas da depressão são muitos variados, indo desde as sensações de tristeza, passando pelos pensamentos negativos até as alterações de sensação corporal como dores e enjôos. Contudo para se fazer o diagnóstico é necessário um grupo de sintomas centrais:
*Perda de energia ou interesse
*Humor deprimido
*Dificuldade de concentração
*Alterações do apetite e do sono
*Lentificação das atividades físicas e mentais
*Sentimento de pesar ou fracasso

Os sintomas corporais mais comuns são sensação de desconforto no batimento cardíaco, constipação, dores de cabeça, dificuldades digestivas. Períodos de melhoria e piora é comum o que cria a falsa impressão de que se está melhorando sozinho quando durante alguns dias o paciente sente-se bem. Geralmente tudo se passa gradualmente, não necessariamente com todos os sintomas simultâneos, aliás, é difícil ver todos os sintomas juntos. Até que se faça o diagnóstico praticamente todas as pessoas possuem explicações para o que está acontecendo com elas, julgando sempre ser um problema passageiro.

A IDENTIFICAÇÃO DA DEPRESSÃO.;

Para afirmarmos que o paciente está deprimido temos que afirmar que ele sente-se triste a maior parte do dia quase todos os dias, não tem tanto prazer ou interesse pelas atividades que apreciava, não consegue ficar parado e pelo contrário movimenta-se mais lentamente que o habitual. Passa a ter sentimentos inapropriados de desesperança desprezando-se como pessoa e até mesmo se culpando pela doença ou pelo problema dos outros, sentindo-se um peso morto na família. Com isso, apesar de ser uma doença potencialmente fatal, surgem pensamentos de suicídio. Esse quadro deve durar pelo menos duas semanas para que possamos dizer que o paciente está deprimido.

TRATAMENTO

Terapia Psicológica e uso de medicação, se necessário. O médico recomendado para diagnosticar precisamente e orientar quanto ao uso da medicação é o psiquiatra.

Fonte: Revista ANAD NOV/DEZ DE 2011

            ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA AO DIABÉTICO

Começo de Ano Verão

DICA DELICIOSA

SUCO
ESPUMANTE DE MANGA E PÊSSEGO

Para quatro pessoas
Uma manga madura
Quatro pêssegos maduros
Quinhentos ml de guaraná (refrigerante)
Folhas de hortelã para decorar (opcional)

Tempo de preparo: 5-10 minutos

1-      Descasque a manga e separe a polpa. Coloque-a no liquidificador ou no processador de alimentos.
2-      Cubra os pêssegos com água fervente por trinta minutos, e depois lave-os em água fria corrente, retirando a pele. Separe a polpa dos caroços e junte-as à manga no liquidificador.
3-      Acrescente refrigerante suficiente para cobrir as frutas, e bata até a mistura ficar completamente homogênea. Coloque o restante do guaraná e bata novamente.
4-      Sirva em seguida em copos altos, de preferência sobre gelo picado. Decore com folhas de hortelã, se desejar, e sirva com canudo.
Dicas e sugestões
  • Use guaraná diet para reduzir calorias.
  • Várias combinações de frutas diferentes são possíveis. Usando aproximadamente quatrocentos e cinqüenta gramas no total, experimente: framboesa, pêssego e melão; morango, banana e gomos de laranja.
Cada porção fornece
55 kcal, 1 g de proteína, 0g de gordura, 14g de carboidratos (dos quais13 g de açúcares), 2 g de fibras.

FONTE: LIVRO FRUTAS E SOBREMESAS
               SELEÇÕES DO READER’S DIGEST






Sarampo

OPÇÃO DE NÃO VACINAR A CRIANÇA AMPLIA
SURTO

Os casos de sarampo registrados no ano passado na cidade de São Paulo mostram o potencial danoso da opção individual da não vacinação.
Dos 13 casos confirmados no município, dez são ligados. O surto começou em uma creche no Butantã entre seis bebês menores de um ano (idade indicada para a primeira dose contra a doença).
A situação foi potencializada quando o vírus passou para quatro crianças com idade entre cinco e dez anos que não eram imunizadas – apesar de a vacina recomendada para a faixa etária.
Renato kfouri, presidente da Sbim (Associação Brasileira de Imunizações), lembra do impacto social da não vacinação. “Você tem todo o direito de não tomar vacina, mas a opção leva a conseqüências sociais, para os que não podem tomar vacina, e a maiores gastos do Estado para bloquear o surto.”

O QUE É O SARAMPO

Doença aguda, altamente contagiosa e transmitida por vírus diretamente pessoa a pessoa (por secreções do doente ao tossir, respirar ou falar).

SINTOMAS

FEBRE
CORIZA
CONJUNTIVITE
TOSSE
VERMELHIDÃO NA PELE

COMO SE VACINAR
Aos 12 meses
Primeira dose vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola).

Aos 4 anos
Segunda dose da vacina tríplice viral.

Adolescentes com idade entre 11-19 anos
Duas doses da vacina tríplice, para quem não tem nenhuma.
Quem já tomou está isento.

Adultos com idade entre 20-49 anos (mulheres) e 20-39 (homens)
Dose única da tríplice viral.

QUEM NÃO PODE SER VACINADO
Indivíduos que apresentam reações adversas graves a qualquer dos componentes da vacina, crianças menores de seis meses de idade e gestantes.

 FONTE: JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO

Nutrientes

NUTRIENTES COM CAPACIDADE DE TURBINAR O FUNCIONAMENTO CEREBRAL, MELHORANDO O DESEMPENHO COGNITIVO, AMPLIANDO A MEMPORIA E ATÉ PREVENINDO DOENÇAS COMO ALZHEIMER.

PEIXES

Especialmente os de águas profundas, como salmão, atum, sardinha, arenque, cavala e truta, são ricos em ômega 3, um ácido graxo que o organismo não sintetiza e precisa obter da alimentação.
Segundo pesquisa realizada na Universidade Laval, no Canadá, o ômega 3 protege os neurônios contra os radicais livres. “Foi observado um risco 46% menor de desenvolver Alzheimer naqueles que consumiam peixe toda semana do que em pessoas que não ingeriam o alimento. Uma parte de cérebro é composta de cadeias poli-insaturadas de ômega-3. Portanto, os peixes são úteis no processo de desenvolvimento cerebral e no sistema nervoso em geral”, diz a nutricionista Fernanda Granja.

Quanto consumir?
Pelo menos 1 filé (100g), 2 vezes por semana

AZEITE

Mais uma vez, é o ômega 3 um dos agentes pré-memória. “Os ácidos graxos poli-insaturados regulam a energia no cérebro e são componentes das membranas das células nervosas e da bainha de mielina”, explica Bianca.
A bainha de mielina – capa que cobre parte dos neurônios, composta por 70% de lipídeos e 30% de proteínas – colabora com a rapidez dessa comunicação.
Como neurônios e bainha de mielina são formados por nutrientes vindos da alimentação, é fundamental manter os hábitos saudáveis para a transmissão dos impulsos nervosos.
Outras substâncias poderosas do azeite são a vitamina e os polifenóis, que agem como antioxidantes e previnem a degeneração das células cerebrais. “A vitamina E também tem ação contra doenças cardiovasculares”, complementa a nutricionista. Portanto, pode prevenir AVC (acidente vascular cerebral), exercendo função extra na proteção do sistema nervoso.
Quanto consumir?
2 colheres (sopa) do tipo extra virgem diariamente.
Dica: utilize o azeite apenas para regar pratos prontos. Levá-lo ao fogo transforma as boas gorduras em prejudiciais.

MAÇÃ

“É uma das principais fontes de fisetina. Segundo estudos realizados no Instituto Salk, nos Estados Unidos, esse fitoquímico favorece o amadurecimento das células nervosas e estimula mecanismos cerebrais associados à memória”, explica Fernanda.
A maçã também contém quercetina, um antioxidante que previne envelhecimento precoce e tumores.

Quanto consumir?
1 por dia

FRUTAS VERMELHAS

“A framboesa melhora o desempenho cognitiva e a memória, enquanto o mirtilo estimula a proliferação de células do cérebro”, revela Andréia. Esse grupo de frutas também é fonte de antioxidantes, protetores dos neurônios.
O mirtilo é a fruta mais rica em antocianina, pigmento que melhora a circulação sanguínea e previne AVC causado por coágulos.

Quanto consumir?
1 xícara (chá) de  framboesa, mirtilo, amora, morango ou cereja em dias alternados da semana.

OVO

“A gema do ovo contém colina, que participa da formação de novos neurônios, ajuda na reparação de células cerebrais e é precursora do neurotransmissor acetilcolina, essencial para a memória e o aprendizado”, afirma a nutricionista Fernanda Granja.
A colina é uma vitamina do complexo B e deve estar presente especialmente na dieta das gestantes, pois participa da formação do cérebro do bebê. “A capacidade de memória de um adulto é influenciada pela dieta da mãe durante a gravidez”, destaca a médica ortomolecular e nutróloga Tâmara Mazaracki

Quanto consumir?
1 ou 2 ovos por semana. Evite fritar o alimento: prefira a versão cozida.




FONTE DE PESQUISA: SUA SAÚDE.