quarta-feira, 9 de agosto de 2017

SANGRAMENTO UTERINO ANORMAL (ADENOMIOSE)

O QUE É ADENOMIOSE?

Adenomiose é quando o tecido endometrial (camada de revestimento interna do útero) invade e se desenvolve dentro da camada muscular do útero (miométrio). Na adenomiose, o útero pode aumentar de volume. Esta condição pode afetar até 60% das mulheres.

O que causa e quem pode ser afetada por adenomiose?

Não são conhecidas as causas exatas para o desenvolvimento da adenomiose. Especula-se que cirurgias no útero, como a cesariana, ou cirurgias para retiradas de miomas (miomectomias) e o processo de cicatrização do útero após um parto normal possam aumentar o risco de adenomiose. Geralmente, acomete mulheres por volta dos 40 anos de idade, que já tiveram filhos, e tende a desaparecer após a menopausa.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DE QUEM TEM ADENOMIOSE?

Além do aumento do volume uterino, as mulheres com adenomiose podem apresentar sangramento menstrual excessivo e/ou prolongado, dor durante as relações sexuais e cólicas menstruais. Algumas vezes, a adenomiose é silenciosa e não provoca sintomas 

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO DE ADENOMIOSE?

As queixas de sangramento uterino anormal (excessivo ou prolongado) associadas ao achado de um exame ginecológico de útero pouco aumentado podem levar o médico a suspeitar de adenomiose. Exames como o ultrassom pélvico transvaginal e a ressonância magnética podem ser solicitados para distinguir o aumento uterino causado pela adenomiose de outras condições, como o mioma uterino.

COMO TRATAR A ADENOMIOSE?

O tratamento hormonal com pílulas combinadas, ou só com progestagênio, reduz ou até suspende o sangramento uterino mensal. O uso de anti-inflamatório não hormonais para o controle da dor e do sangramento também pode ser indicado. Quando não ocorre melhora com o tratamento medicamentoso, o tratamento cirúrgico por meio da retirada do útero (histerectomia total) pode ser indicado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário